Novela “Ouro Verde” – resumo dos próximos episódios

Novela Ouro Verde: a TVI Portugal divulgou no resumo dos próximos episódios da novela Ouro Verde que no hospital, Tiago recebe uma chamada de José, que lhe diz que Catarina morreu, deixando-o em choque. José, muito abalado, pede a Tiago se pode ir reconhecer o corpo de Catarina por ele e Amanda. Na novela Ouro Verde, episódio de sábado, 22 de julho – Episódio 159 – Vera diz a Miguel que é tudo mentira e que está a ser chantageada pelo filho de Judite para assumir a culpa no atropelamento, mas Miguel não se convence e quer saber como é que ela teve coragem de tentar matar a filha dele. Jorge diz a Lúcio que pode mostrar-lhe as fotografias de Joaquim a pôr a bomba no carro de António e que só pode ter sido a mando de Miguel, acrescentando que Joaquim é a peça chave para apanharem o banqueiro. Vera acaba por admitir a Miguel que fez tudo porque Bia lhe queria ficar com Jorge e o filho dela, e Miguel, além de dizer que ela é louca, questiona-a se estava mesmo disposta a tirar a vida à filha e à neta dele só para ficar com Henrique. Amanda diz a José, a Tomás e à Agente Marília que Catarina está morta, provocando uma onda de choque, afirmando que o telefonema que acabou de receber era da Judiciária.

António convida Inês para irem almoçar fora, tal como planeava fazê-lo no dia do acidente, e ela pede-lhe que o deixe só trocar de roupa. Miguel, duro, diz a Vera que Bia tem razão ao afirmar que ela não tem condições de ser mãe de ninguém, quebrando qualquer elo de ligação que existia entre os dois e ameaçando-a caso se volte a aproximar de Bia, o que deixa Vera em pranto. Amanda, José e Tomás choram a morte de Catarina, com as suas reações a serem observadas pela Agente Marília. Inês acaba de trocar de roupa e António elogia-a, saindo os dois para almoçarem. Lúcio tenta contactar Joaquim pelo telemóvel, mas Jorge diz-lhe que o outro nunca o vai atender e já deve estar longe, quando recebe uma chamada pelo telefone fixo e pede a Jorge que o aguarde por uns minutos, pois talvez consiga uma pista sobre Joaquim.

José diz a Amanda que ela pode ter percebido mal, mas Amanda garante que a filha deles morreu mesmo, o que faz com que a Agente Marília ligue para a PJ, mas sempre de olho em Tomás, que chora e diz ao avô e a Amanda que lamenta muito a morte de Catarina. Gonçalo e Arnaldo acabam de instalar as câmaras em casa de Vera e, através de um tablet, verificam que estão a funcionar na perfeição. Wagner oferece um copo de água a Vera para esta se acalmar, mas Vera diz que não se sente em condições de trabalhar e vai para casa. Rita chega ao restaurante de Vera para almoçar e acena, de forma distante, a Filardi, dizendo a Marisa que vem para um almoço com António, mas Marisa diz que não há nenhuma reserva em nome do marido dela, ainda que lhe arranje uma mesa, da qual Filardi se aproxima, mas logo se afasta, confuso, quando Rita lhe diz que já não está separada do marido.

Na PJ, Lúcio vai ter com Judite, que lhe diz que conseguiu falar com Sérgio e que o filho a deixou muito assustada com coisas que lhe disse. A Agente Marília diz a José, a Amanda e Tomás que a Inspetor Marta é a responsável pelo caso, mas que não pode dar informações por telefone e José e Amanda decidem ir à Judiciária sozinhos, e a agente Marília diz que fica com Tomás para tirar umas dúvidas, deixando o rapaz aflito. Miguel chega a casa e liga ao juiz responsável pelo processo da custódia de Henrique, a quem diz que descobriu que a mãe da criança é uma desequilibrada e ele deve inverter o sentido da decisão, para que Henrique fique com o pai. Judite diz a Lúcio que o filho lhe pediu para sair de casa e não confiar em Joaquim, mas não disse porquê e Lúcio pede à irmã para ligar a Sérgio e este rejeita a chamada, mas logo a retribui e Lúcio pede a Judite para não dizer que está com Lúcio e na PJ.

Agente Marília diz a Tomás que quer fazer-lhe umas perguntas e pede-lhe que descreva o que fez no dia anterior ao pormenor, mas Tomás diz que não fez nada de especial. Miguel despede-se do juiz, agradecendo a disponibilidade deste para mudar o sentido da decisão. O Funcionário entra no gabinete à procura de Lúcio, mas Jorge diz que ele não está e pergunta onde pode arranjar um café, sendo levado pelo Funcionário. Lúcio e Judite ouvem a chamada de Sérgio em alta-voz, que diz à mãe para não confiar em Joaquim. No hotel em Marrocos, Sérgio fala com Judite, afirmando que Joaquim não é o homem que ele pensa e que o seu regresso a Portugal pode demorar. Lúcio repara que Jorge ouve a conversa de Judite com Sérgio ao telemóvel, onde o sobrinho afirma que está em Marraquexe.

No restaurante, Filardi liga a Paula, que diz que esteve uns dias ausente e a quem pergunta se Rita fez as pazes com o marido. Paula diz que não sabe de nada por ter estado ausente, mas pode averiguar. Rita vê António entrar no restaurante e, pensando que ele está sozinho, chama-o para a mesa, mas fica indignada ao vê-lo com Inês, perguntando que brincadeira de mau gosto é aquela. Judite, que continua ao telefone com o filho, ladeada de Lúcio e Jorge, quer saber por que é que Joaquim é um bandido da pior espécie, mas Sérgio diz que é tudo o que lhe pode dizer.Ao telefone, Sérgio diz à mãe que, quando decidir o que fazer com a sua vida, lhe conta tudo direitinho, mas pede-lhe para ficar longe de Joaquim.

A chamada acaba por ser desligada e Jorge diz a Lúcio que têm de chegar a Sérgio para apanharem Joaquim e, posteriormente, Miguel, o que leva Judite a perguntar o que se passa e Lúcio diz-lhes que é melhor falarem noutro sítio. Rita acusa António de estar a gozar com a sua cara, por causa do convite para o almoço e das flores que lhe mandou, mas Filardi, que ouve tudo, afasta Rita dos outros e confessa que foi ele quem mandou o convite e as flores, levando Rita a desmaiar. A Agente Marília diz a Tomás que tem de confirmar a história dele com o pai e afirma que Tomás está muito nervoso e pouco cooperante, mas Tomás afirma que está a ser tratado como suspeito, quando está em sofrimento profundo, desatando a chorar copiosamente.

Bia chega a casa e recebe uma chamada de Miguel, a quem pergunta se está a ligar para lhe pedir desculpas por lhe ter desligado o telemóvel na cara. Miguel, ao telefone com Bia, pergunta-lhe por que é que nunca lhe contou que Vera a havia tentado atropelar, mas diz que já tomou providências a respeito dela. Bia pergunta a Miguel o que é que ele fez, mas ele diz que ela saberá na devida altura e acaba por lhe desligar a chamada na cara. Vera chega a casa e pergunta a Marlene por Henrique, que lhe diz que o miúdo está a fazer uma sesta, e Vera diz que assim não tem de fingir que está bem-disposta, caindo em pranto, o que leva Marlene a pedir à patroa que desabafe com ela e Vera diz-lhe que tem a vida de pernas para o ar.

Inês diz a António para irem embora do restaurante, mas António afirma que Rita não lhes vai estragar o dia, enquanto Rita desperta e Filardi a impede de ir ter com António, dizendo que o erro foi dele e convidando-a para almoçar, o que faz com que Rita peça uma bebida forte e aceite o convite, sendo elogiada por Filardi. Tomás recorda as palavras de Marília e liga a Miguel, que diz que espera que o filho lhe esteja a ligar para pedir desculpa, mas Tomás diz que tem uma polícia desconfiada atrás de si. Miguel diz ao filho que só espera que ele tenha tido travão na língua. Judite pergunta a Jorge e Lúcio se têm a certeza de que Joaquim é o responsável pelo desaparecimento do processo de Miguel e Jorge mostra-lhe o computador de Sérgio, afirmando que foi destruído a tiro por Joaquim e pedindo ajuda a Judite para encontrar o filho dela, pois pode ajudá-lo a inocentá-lo por um crime que não cometeu.

Ao telefone, Tomás diz a Miguel que contou à agente da polícia que passou o dia com ele e Miguel diz que dará a volta à mulher, e Tomás diz ao pai que não o perdoa pelo que fez a Catarina, pois ainda gostava dela. Miguel reage mal ao que o filho diz e vê a chamada ser desligada por Tomás, de quem Miguel escarneia. Jorge diz a Lúcio e Judite que suspeita que Joaquim esteja envolvido na morte da família dele, pois nada lhes garante que não trabalhasse já para Miguel, e Lúcio acaba por concordar com Jorge, o que deixa Judite em choque, com Lúcio a dizer-lhe que tem de ser forte. A Inspetora Marta recebe José e Amanda, a quem diz que têm de reconhecer o corpo de Catarina que está no Instituto de Medicina Legal, acrescentando que ela pode ter-se suicidado.

No restaurante, António diz a Inês que, no dia do acidente, tinha uma coisa muito importante para lhe perguntar e pede-a em casamento, mas, antes que Inês responda, Rita afirma que ainda é mulher de António. Mónica e Beltrão recebem Otelo e um representante do Banco de Portugal, a quem comunicam que a família vai vender a participação que tem no banco. Rita discute com António, o que faz com que Inês vá embora, e António diz a Rita que não descansa enquanto não conseguir o divórcio, indo atrás da namorada, e Filardi tira Rita do restaurante. Amanda, muito nervosa, diz à Inspetora Marta que é impossível que a filha se tenha suicidado e tanto a Inspetora como José tentam acalmá-la, o que leva José a dizer que vão pedir a alguém da confiança deles que vá reconhecer o corpo, quando a Inspetora Marta recebe uma chamada da Agente Marília a dizer que Tomás tem um álibi, mas a Inspetora afirma que quer um relatório pormenorizado de tudo o que ele disse.

Jorge diz a Lúcio e a Judite que encontrou, no computador de Sérgio, documentos que o incriminavam pelo rapto de Mafalda, garantindo que nunca teve uma offshore nas Ilhas Caimão e que não encontrarão a letra dele naqueles documentos, o que faz com que Lúcio diga que talvez exista uma forma de Sérgio falar e leve Jorge a suplicar a Judite que convença o filho a provar a inocência dele. Mónica confirma a Otelo e ao representante do Banco de Portugal a intenção de venda para não lesar quem neles confiou e Otelo diz que já foi contactado por grupos interessados na compra, o que leva Mónica a afirmar que conta com eles para ajudarem a moderar a venda. Inês diz a António que resolva a sua vida com Rita e que depois venha ter com ela, dizendo-lhe que trate de tudo depressa quando ele afirma que a ama. Aparecida está a cozinhar e Bia fica interessada na comida que ela está a fazer e nos ingredientes que está a usar.

Novela “Ouro Verde” TVI: resumo dos próximos episódios

Noticias relacionadas:

Novela “Ouro Verde” – Sinopse
Novela “Ouro Verde” – Personagens e elenco
Novela “Ouro Verde” – resumo dos próximos episódios

Novela “A Impostora” – Sinopse
Novela “A Impostora” – Personagens e elenco
Novela “A Impostora” – resumo dos próximos episódios

Comente esta novela no final da página

Na novela Ouro Verde, episódio de segunda-feira, 24 de julho – Episódio 160 – No hospital, Tiago recebe uma chamada de José, que lhe diz que Catarina morreu, deixando-o em choque. José, muito abalado, pede a Tiago se pode ir reconhecer o corpo de Catarina por ele e Amanda. Vera dorme agitada no sofá e Marlene tapa-a com uma mantinha, ficando a observá-la. Lúcio fala ao telefone com a Procuradora Vieira, dizendo-lhe que tudo indica que Joaquim pode estar implicado no desaparecimento do processo de Miguel e que precisam de um acordo para que o sobrinho dele, Sérgio, fale, o que leva a Procuradora Vieira a dizer que vai tratar de tudo para conseguir esse acordo. Lúcio diz a Judite e a Jorge que está a tratar de conseguir com o Ministério Público um acordo para que Sérgio volte e conte tudo o que sabe, e Jorge propõe a Lúcio irem até Marraquexe falar com o sobrinho dele. Joaquim conduz em direção a Espanha com o GPS programado para Marraquexe. Miguel recebe a visita da Inspetora Marta, que diz que lhe quer fazer umas perguntas sobre um possível homicídio.

Miguel finge-se chocado quando a Inspetora Marta lhe diz que Catarina foi encontrada morta, mas mostra-se incomodado quando a Inspetora lhe pede que conte o que fez no dia anterior. Jorge diz a Lúcio que talvez com a ajuda de Judite possam convencer Sérgio a colaborar com eles e Judite pergunta ao irmão o que vai acontecer ao filho se ele não aceitar o acordo deles, ouvindo de Lúcio que o sobrinho terá de ser preso. Bia chega à associação e Inês conta-lhe o que se passou no restaurante, revelando que António a pediu em casamento, mas que não pode casar por ele ainda ser casado com Rita. Tiago chora ao recordar o pedido de José para reconhecer o corpo de Catarina, quando a enfermeira Anabela entra e fica a saber o que se passou, perguntando se foi acidente ou se Tiago não considera a hipótese de suicídio.

Filardi chega a casa com Rita e Laurinda fica a saber da confusão sobre o almoço. Rita pede gin e Filardi, além de não achar boa ideia, deixa o seu cartão para o caso de Rita precisar de algo, mas esta está apenas focada em beber. Bia diz a Inês que o tio não teve culpa do que se passou e pede à amiga que dê tempo a António para resolver as coisas, ao que Inês responde que António resolva rapidamente, pois nem faz questão de casar, já que só não quer ser a outra na vida de alguém. Tiago afasta a hipótese de suicídio perante Anabela, afirmando que pode ter sido um acidente, não querendo pensar em outras possibilidades, acabando por ir embora. Tomás recorda o interrogatório com Marília e o momento em que Miguel empurrou Catarina, provocando a sua morte, o que leva Tomás a chorar e a murmurar que nunca devia ter ajudado o pai, sendo visto por Berta, mas sem a ver.

Miguel diz à Inspetora Marta que almoçou com o filho e passou a tarde com ele ali em casa, podendo confirmar isso com Tomás, mas a Inspetora diz que Tomás afirmou a mesma coisa e, de saída, afirma a Miguel que o procurará se precisar mais da sua colaboração. Lúcio diz a Judite que o que o filho dela fez é crime e Judite acaba por concordar em ajudá-los, perguntando o que tem de fazer e Lúcio pede-lhe que ligue a Sérgio, mas que lhe passe a chamada. António vai a casa de Rita e encontra-a a querer tirar a garrafa de gin das mãos de Laurinda, dizendo à mulher que vai avançar com o divórcio, mas Rita faz uma fita e Laurinda diz a António para ir embora que ela toma conta de Rita.

José e Amanda chegam a casa desta, que recusa de forma perentória a hipótese de suicídio, mas José afirma que ela não conhecia bem a filha, o que faz com que Amanda não o queira ouvir e o expulse de casa. Judite liga a Sérgio, que, quando atende, pergunta à mãe encontrou Joaquim, mas Judite diz que é uma mulher séria e só pede ao filho que colabore. Sérgio não entende o que a mãe quer dizer com o colaborar. Lúcio arranca o telemóvel das mãos de Judite e diz ao sobrinho que tem um acordo para lhe propor. António aparece em casa de José para falar com o pai e Tomás acaba por lhe contar que Catarina foi encontrada morta, só não se sabendo se foi suicídio ou acidente. Lúcio fala ao telemóvel com Sérgio, dizendo-lhe que já sabem o que ele fez e que precisam dele para apanhar Miguel, havendo um acordo com o Ministério Público para deixar cair as acusações contra ele.

Sérgio diz ao tio que não tem nada de concreto para apanhar Miguel, mas Lúcio diz-lhe que basta que ele lhe entregue Joaquim para chegarem a Miguel e Sérgio pergunta o que tem a ganhar com isso. Amanda recebe a visita de Padre Sebastião, a quem diz que não faz sentido estarem a dizer que Catarina se suicidou, pois falou com a filha antes de ela desaparecer, e Padre Sebastião diz-lhe que a polícia há de chegar à verdade. Lúcio diz a Sérgio que ele tem a ganhar a liberdade dele e não precisa de andar o resto da vida a fugir. Sérgio pergunta ao tio como é que pode ter a certeza que vão cumprir a palavra e Lúcio diz-lhe que vai ter que confiar nele. Sérgio diz que vai pensar no assunto e entra em contacto depois, desligando a chamada e Jorge pede a Lúcio que lhe diga qualquer coisa logo que tenha novidades, pondo o seu avião à disposição para irem até Marrocos.

Aparecida diz a Arnaldo e a Gonçalo para esperarem por Jorge e Gonçalo decide ver o que Vera anda a fazer por casa. Vera acorda no sofá. Gonçalo comenta com Arnaldo que Vera é uma mulher de fibra e Arnaldo responde que também é muito perigosa. Marlene vem ter com Vera, que acabou de acordar e que diz à empregada que está cheia de problemas, que podem causar um grande impacto na sua vida, o que leva Marlene a perguntar-lhe se corre algum tipo de perigo. Lúcio diz a Judite que não há margem para dúvidas a respeito do carácter de Joaquim e afirma que a irmã irá ficar em sua casa, quando aparece a Inspetora Marta a dizer que Marília está lá fora para lhes dar uma palavrinha sobre a morte de Catarina.

Vera diz a Marlene que se sente muito sozinha, pois chateou-se com o irmão, perdeu o homem que amava e o homem com quem tinha uma relação é muito poderoso e vai de certeza querer prejudicá-la, o que leva Marlene a dizer que sabe muito bem o que isso é. Tiago chega ao exterior do Instituto de Medicina Legal e ganha coragem para entrar. Padre Sebastião diz a Amanda que ela tem de ser forte, mas Amanda diz que não sabe como vai viver sem a filha e revolta-se contra Deus por lhe ter roubado a filha. José chega a casa e António, que estava com Tomás, vai ter com o pai, que lhe diz que o médico de Catarina foi ao Instituto de Medicina Legal reconhecer o corpo da rapariga, porque nem ele nem Amanda tiveram coragem para isso.

Marlene diz a Vera que, no passado, se cruzou com um homem muito poderoso que lhe fez bastante mal e diz a Vera que, se precisar dela, pode dispor à vontade, pois não suporta esse tipo de pessoas. Bia diz a Inês que tem de ir andando e pede à amiga que tenha calma com António, dizendo que lhe liga mais tarde para saber como estão as coisas. António diz que tem pena de não ter conhecido melhor Catarina e José afirma que todos erraram com a rapariga, a começar por ele que foi um péssimo pai, e Tomás afirma que também foi um péssimo namorado, caindo em pranto. A Inspetora Marta apresenta a Agente Marília a Lúcio, que lhe conta como as coisas sucederam no caso de Catarina, afirmando que estava em casa dos Ferreira da Fonseca quando Amanda recebeu a notícia e aproveitou para interrogar Tomás, que arranjou o pai como álibi.

Tomás diz ao avô e ao tio que ainda amava Catarina e que podia tê-la salvo com o seu amor, mas que, ao invés disso, a matou. A Agente Marília diz a Lúcio que acha que Tomás esconde qualquer coisa e a Inspetora Marta diz que foi falar com Miguel, que confirmou a história, mas pareceu pouco à vontade com o assunto, como se estivesse a mentir. Jorge chega a casa, aonde Arnaldo e Gonçalo o esperam para lhe dizer que está tudo a funcionar em pleno em casa de Vera, com Jorge a dar ordens para Arnaldo ficar com o tablet e contando o que se passou na PJ, acrescentando que não há rasto de Joaquim. Bernardo, à porta do conservatório, vê vários estudantes a sair e fica furioso por não ver Cláudia, derrubando a pontapé um caixote do lixo e arrancando no seu carro.

Cláudia chega a casa e conta aos pais que esteve com Salvador, que se encontra internado, mas os pais dizem que isso não lhe faz bem e temem que ela sofra por causa do rapaz. Aparecida acaba de deitar Madalena no berço e faz uma promessa à sua santa: volta para o Brasil, mesmo correndo o risco de encontrar Laurentino, se a sua santinha curar Salvador. Padre Sebastião diz a Amanda que a vida dela não acabou e Amanda diz que não sabe como se continua a viver depois de se perder um filho, acrescentando que é mais fácil para toda a gente insinuar que Catarina se matou do que ponderarem a possibilidade de ter sido assassinada, o que leva Padre Sebastião a perguntar-lhe se ela acha que Tomás pode ter alguma coisa a ver com isso e Amanda responde-lhe, perguntando se ele conhece mais alguém com interesse na morte de Catarina.

Mónica termina a reunião com Otelo e o representante do Banco de Portugal, que confirmam que os ajudam na venda do banco e que não haverá mudanças na direção até que a venda esteja concretizada. Já de saída, Otelo vê um bilhete de avião que tem para Genebra e quase sai a correr por estar atrasado. Jorge pede a Arnaldo e a Gonçalo que façam investigações que o ajudem a provar a sua inocência e devem começar por um banco chamado Royal Suisse Institute de Credit. Beltrão volta a entrar no gabinete de Mónica e dá com ela a chorar, afirmando que volta mais tarde, deixando-a sozinha, para que possa chorar à vontade. Miguel vê imagens de cãezinhos no tablet, quando recebe uma chamada de Otelo, a informá-lo que Mónica lhes comunicou que vão mesmo vender o banco.

Otelo ouve Miguel dizer que vai falar com os brasileiros para avançarem, com Otelo a dize-lhe que lhe fará chegar uma cópia dos documentos assim que Mónica lhos enviar, o que deixa Miguel bastante satisfeito. Bia chega a casa e entrega um telemóvel a Jorge, ficando a saber que falaram com o sobrinho hacker de Lúcio e Gonçalo fica petrificado quando Jorge diz a Arnaldo que vai precisar das fotos de Joaquim a pôr a bomba no carro de António. Miguel fala ao telefone com Filardi, a quem diz que a venda do banco vai mesmo avançar, deixando o brasileiro bastante satisfeito. Tiago sai do Instituto de Medicina Legal arrasado e a chorar de raiva. Em Genebra, na Suíça, Otelo vai ao encontro de uma mulher rica e misteriosa. Mónica fica em choque com a notícia da morte de Catarina e José diz-lhe que ninguém sabe como é que ela caiu da falésia, enquanto Tomás recorda o momento em que Miguel empurrou Catarina.

Fonte: Ouro Verde, novela da TVI – resumo dos próximos episódios

Vem por aí nos próximos episódios da novela Ouro Verde – No palácio em Genebra, a mulher, Maria Teresa, fica satisfeita quando Otelo lhe diz que os Ferreira da Fonseca estão dispostos a vender e afirma que finalmente será feita justiça, dizendo que adoraria ver a cara de Miguel quando este e os brasileiros aliados perceberem que perderam a corrida. Tiago chega a casa de Amanda e confirma que era mesmo Catarina, o que leva Amanda a abraçar o médico e os dois choram copiosamente, sob o olhar consternado de Padre Sebastião. Jorge diz a Bia que, se apanharem Joaquim, é meio caminho para apanharem Miguel e Bia conta-lhe que falou com o pai e que ele reagiu de forma estranha ao facto de saber que tinha sido Vera a tentar atropelá-la, mas garantiu que havia tomado providências e iam perceber em breve, o que leva Jorge a questionar o que Miguel andará a tramar.

Marlene despede-se de Vera, que lhe agradece todo o apoio, mas Marlene diz que nunca esquece como Vera a ajudou numa altura em que toda a gente lhe fechava a porta na cara. Quando Marlene sai, Vera recorda a conversa com Miguel sobre Henrique e fica receosa, afirmando para si que Miguel vai fazer alguma. Gonçalo insiste fortemente com Inês para que lhe ceda um espaço na associação para trabalhar e Inês diz que vai falar com Bia, o que deixa Gonçalo satisfeito. Lúcio chega a casa e pergunta a Paula como é que ela se sente, e a mulher puxa-o para o quarto. Paula pergunta a Lúcio que ideia é a de ele trazer a irmã novamente ali para casa, mas Lúcio diz que tem de ser, deixando Paula perplexa ao revelar-lhe que Judite corre perigo junto de Joaquim.

Tiago diz a Amanda que lamenta muito a morte de Catarina e oferece-se para a levar até junto do marido, mas Amanda diz que foi ela que mandou José embora porque ele insinuou que a filha se podia ter suicidado e Tiago também não acredita muito na hipótese de suicídio, enquanto Padre Sebastião liga a José, a confirmar que era mesmo o corpo de Catarina. José fala ao telefone com Padre Sebastião, chorando a morte da filha e pedindo ao amigo que convença Amanda a deixá-lo ir para perto dele, confirmando, quando desliga, a Mónica, António e Tomás que se tratava mesmo de Catarina. Paula discute com Lúcio por este ainda não ter prendido Joaquim, quando Lúcio recebe uma chamada da Inspetora Marta a confirmar que o corpo era mesmo de Catarina e que havia vestígios de pele nas unhas dela, o que leva Lúcio a dizer-lhe que isso bate certo com as marcas dos pneus de outro carro no local.

Inspetora Marta concorda e diz que sabe por onde começar as investigações, dizendo a Lúcio que falam melhor sobre esse assunto no dia seguinte. Padre Sebastião diz a Amanda que José quer vir para junto dela, mas ela afirma querer ficar só com eles os dois, pois acabará por se zangar com José e já lhe chega uma perda. José diz a Mónica que falam na hipótese de suicídio e Tomás diz que a culpa é sua, pois levou-a ao desespero a ponto de se matar, chorando copiosamente e sendo abraçado por Mónica, enquanto José é levado para o quarto por António para descansar. Rita acorda assarapantada e a perguntar por António, saindo disparada do quarto. Rita entra na sala quando Bernardo, Sancha e Laurinda quando estes estão a falar da morte de Catarina e pergunta se foi o pai deles que morreu, mas eles negam e afirmam que o pai está em casa do avô, levando Rita a sair disparada, com os filhos a irem atrás dela.

Miguel recebe Filardi, que lhe diz que o pessoal do fundo está pronto para avançar compra e Miguel diz que, como não há processo nenhum contra ele, terão de lhe dar idoneidade bancária novamente, o que o leva a oferecer uma bebida a Filardi, mas não tem força nas mãos para abrir a garrafa e tem de mentir para justificar-se. Mónica leva Tomás para cima, dizendo-lhe que lhe vai dar um calmante para ele descansar, mas Tomás não quer, ainda que Mónica insista. Rita invade a casa a chamar por António e, quando Bernardo e Sancha entram à procura da mãe, já não a encontram. Amanda diz a Tiago e a Padre Sebastião que se sente capaz de matar uma pessoa, revelando suspeitar de Tomás, mas Padre Sebastião pede-lhe calma, o que Amanda afirma não conseguir ter e Padre Sebastião completa dizendo que também não sabia o que seria capaz de fazer se lhe matassem alguém que amava muito.

Filardi fala sobre o negócio de compra do banco, mas Miguel nem o ouve, estando concentrado na perda de forças no braço e dizendo a Filardi que é melhor continuarem a conversa noutra altura. Rita entra no quarto de Mónica a chamar por António, mas sai ao não o ver, e Tomás diz à mãe que Rita anda à procura do tio. António acaba de deitar José, que lhe diz também sentir-se muito culpado pelo que aconteceu à filha, quando aparece Rita a querer falar com António e ele leva-a, dizendo-lhe que vão ter uma longa conversa, o que deixa José preocupado. Judite está à mesa com Cátia, que está deliciada com a comida da tia, quando Paula e Lúcio entram, e Paula esforça-se para ser simpática com a cunhada, ainda que não deixe de mandar as suas farpas.

António entra na sala a puxar pelo braço de Rita, que se queixa que ele a está a magoar, quando aparecem Bernardo e Sancha, e António diz à mulher que ela se aproveitou dela, mas que vai divorciar-se para se casar com Inês, o que deixa os filhos surpreendidos. António vai embora e Rita, a chorar, diz que prefere ser viúva a divorciada. Lúcio e a Inspetora Marta decidem começar a investigação da morte de Catarina por Tomás, decidindo comparar a pele nas unhas de Catarina com uma amostra de ADN de Tomás bem como examinar o rodado dos pneus do carro dele. Jorge vê a notícia da morte de Catarina no jornal e Bia fica consternada, decidindo ligar ao avô enquanto Jorge afirma que vai ter com Amanda, mas recebe a visita de Arnaldo que lhe entrega as fotos de Joaquim a colocar a bomba no carro de António.

José mostra-se indignado com a notícia sobre a morte de Catarina no jornal e comenta com Mónica que andaram a chafurdar na lama ao referirem-se a Catarina como «jovem transgénico», quando José recebe uma chamada de Bia, a quem José diz que ficaram tão transtornados que nem se lembraram de lhe dizer nada. Bia pergunta ao avô onde está e José afirma que está em casa, mas que Amanda não se encontra ali por não aceitar a ideia de suicídio e Bia pergunta a José se Amanda acha que foi outra coisa. Gonçalo chega à associação para se instalar, mas Inês afirma que apenas lhe disse que ia falar com Bia e Gonçalo pede-lhe que fale agora, pois Bia até lhe irá agradecer, já que ele vai trabalhar para provar a inocência de Jorge.

Bia diz ao avô que, por mais que Tomás se tenha portado mal com Catarina, Amanda não pode estar a pensar que ele a matou. José afirma que pensa da mesma maneira e diz a Bia que o irmão está ali em casa, o que leva Bia a dizer ao avô que vai imediatamente a casa dele. Jorge, com as fotos na mão, diz a Arnaldo que o quer a ele e a Gonçalo em cima de Joaquim e do tal banco suíço, preparando-se para sair porque morreu a filha de uma grande amiga, quando Bia aparece e, ao ver as fotos nas mãos de Jorge, pergunta que fotografias são aquelas. Mónica pergunta a José se já sabe onde vai ser o velório, mas este diz que a polícia avisou que iam de ter aguardar uns dias até libertarem o corpo. Bia fica chocada ao ver as fotos de Joaquim a pôr a bomba no carro de António, quando recebe uma chamada de Inês.

Inês diz a Bia que Gonçalo quer instalar-se a trabalhar ali na associação, pois tem umas coisas para fazer para Jorge, e Bia acaba por concordar. Jorge agradece a Bia por ter permitido que Gonçalo fique lá a trabalhar e Bia diz que provar a inocência de Jorge é o mais importante, até para ajudar à recuperação de Salvador. Na Quinta do Príncipe, Lúcio e a Inspetora Marta perguntam a um Segurança qual é o carro de Tomás e a Inspetora encaminha-se para lá para ver os pneus. Tomás diz a Mónica e a José que acha indecente não libertarem o corpo, quando aparece Lúcio a pedir que Tomás o acompanhe à PJ para interrogatório e perícia, mas Tomás mostra-se reticente e tanto Mónica quanto José aconselham-no a colaborar com a polícia, já que nada tem a temer.

A Inspetora Marta fotografa os pneus do carro de Tomás e tira um pouco de terra dos sulcos dos mesmos. Jéssica, aparvalhada, diz a Hadja que recebeu uma mensagem do barman da gafieira a dizer que Catarina morreu, mas não quer acreditar e vai ligar a Tiago para saber se é verdade. Tomás está ao telefone com Miguel, que lhe diz que ele não é obrigado a ir, mas Tomás diz que assim vai dar nas vistas e exige que o pai o ajude, pois, de contrário, contará toda a verdade. Miguel diz a Tomás que ele não seria capaz disso, mas Tomás afirma que não vai pagar por um crime que não cometeu. Tomás desliga e apaga a sua lista completa de chamadas. Miguel está transtornado com as palavras do filho e liga a Joaquim, mas, como o telemóvel está desligado, deixa uma mensagem a pedir que Joaquim lhe ligue com urgência.

Tiago chega ao hospital e confirma a Anabela que era mesmo Catarina, quando Tiago recebe uma chamada de Jéssica a dizer que lhe contaram que Catarina morreu, mas que não acredita e Tiago confirma que é verdade, acrescentando que caiu numa falésia. Jéssica levanta a possibilidade de Catarina também ter sido empurrada e Tiago diz que a polícia tem todas as hipóteses em aberto. Judite e Paula tomam o pequeno-almoço, com Paula a perguntar a Judite se é verdade que ela corre riscos e Judite a confirmar que casou com um homem que é um bandido. Tomás diz a Lúcio que está pronto para ir com ele, afirmando à mãe e ao avô que está de consciência tranquila. Quando eles saem, José diz a Mónica que não acredita que Tomás fosse capaz de ir tão longe, mas acrescenta que Amanda nunca acreditou na hipótese de suicídio.

Rita entra como um furacão no consultório de Francisco, a dizer que António recuperou a memória e voltou para a amante, mas Francisco diz que a avisou que isso podia acontecer. Gonçalo faz uma pesquisa sobre o banco suíço e descobre que eles estão espalhados pelo mundo, incluindo em Genebra. Jorge aparece na PJ à procura de Lúcio, quando este chega com Tomás e Jorge estranha ver o cunhado ali, mas Lúcio manda o funcionário levar Tomás para a sala de interrogatórios e Jorge entrega a Lúcio as fotos de Joaquim a pôr a bomba no carro de António. Gonçalo continua a pesquisar sobre o banco, tentando descobrir quem são os donos, quando encontra uma fotografia de Miguel, Otelo e António com Maria Teresa, o marido desta e o filho mais novo, o que deixa sem saber o que pensar.

 

 

—–

Jorge diz a Lúcio que é irrelevante como arranjou as fotos e pergunta se há novidades de Joaquim, mas Lúcio diz que não e Jorge levanta a hipótese de ele se ter posto em fuga. Gonçalo mostra a foto a Inês e diz que ela o vai ajudar a saber quem são aquelas pessoas através de António, mas Inês diz que ela e António deram um tempo e pede-lhe que recorra à ajuda de Bia.Lúcio diz a Jorge que é bem possível que Joaquim tenha fugido, mas têm de chegar primeiro a Sérgio, depois a Joaquim e, por fim, a Miguel, afirmando que vai saber se o Ministério Público já deu o Ok ao acordo com Sérgio e prometendo ligar a Jorge com novidades. Jorge pergunta-lhe se ele acha que Tomás pode estar envolvido na morte de Catarina e Lúcio afirma que espera bem que não.

Jéssica, ao telemóvel com Tiago, fica a saber que o primo teve de ir ao Instituto de Medicina Legal reconhecer o corpo de Catarina e percebe que era dela de quem Tiago gostava. Tiago acaba por confirmar e diz que suspeita que Tomás esteja por detrás de tudo, e Jéssica diz ao primo que vai ter com ele, pois não o deixará sozinho numa situação tão delicada e dolorosa. Francisco diz a Rita que António se sente traído por ela o ter levado enganado para casa e afirma que ela tem de meter na cabeça que António ama outra pessoa, mas Rita diz que não aceita isso, nem ficará de braços cruzados, saindo desabrida do consultório. Mónica diz a José que devia ter ido com Tomás à PJ, quando aparece Bia, que consola o avô e fica inquieta ao não ter resposta quando pergunta à mãe e a José se a polícia já deu notícias.

Gonçalo diz a Inês que Bia não atende e insiste que a irmã ligue para António, mas Inês recusa, quando aparece António para falar com ela e Gonçalo sai, não sem antes pedir a António se podem trocar umas palavras no final da conversa dele com a irmã. Bia está inquieta por terem levado Tomás e diz a Mónica e a José que aquilo não lhe cheira bem, quando aparece Berta e lhes diz que quer falar com eles sobre Tomás. Hadja e Jéssica, chocados, contam a Cláudia da morte de Catarina, que caiu ou foi empurrada para uma falésia, deixando Cláudia horrorizada. Tomás pergunta a Lúcio por que é que não o interrogaram em casa, mas Lúcio diz que têm formalidades a cumprir e precisam de apurar a verdade, começando por ele, já que tem um longo histórico com a vítima, desde que Catarina, ainda como David, levou um tiro por ele no atentado na gafieira.

Berta acaba de contar a Bia, José e Mónica que tiraram fotografias aos pneus do carro de Tomás e José diz que nem quer imaginar que Tomás pudesse fazer qualquer coisa, assim como Mónica. Hadja e Jéssica falam com Cláudia sobre a morte de Catarina e os filhos de Miguel, mais concretamente Bernardo e Salvador, dizendo à filha que podem ter uma deformação genética que os torna irracionais e pedindo à filha para se afastar dessa gente, mas Cláudia diz que os pais estão a exagerar e sai para as aulas. Paula está boquiaberta com o que Judite lhe conta de Joaquim e diz à cunhada que ela não tem sorte nenhuma, pois é dose ter um filho e um marido bandidos. António diz a Inês que já deixou bem claro a Rita que pretende casar-se com ela e Inês diz que, por causa desse casamento, Rita não os vai deixar em paz, o que leva António a perguntar a Inês se não o ama, querendo saber o que ela realmente sente por ele.

Tomás é interrogado por Lúcio, a quem confirma que passou o dia com o pai, mas impacienta-se quando o inspetor lhe pergunta o que comeram e Tomás acaba por dizer que foi camarão. Inês diz a António que era preferível não gostar tanto dele e António diz-lhe que têm de ficar juntos, mesmo com uma guerra de Rita contra eles, acrescentando que já falou com o advogado para dar entrada com os papéis do divórcio, garantindo-lhe que se casam logo que esteja divorciado. Rita entra no quarto enlouquecida e dá de caras com Laurinda, a quem diz que lhe rogaram uma praga e lembra-se de quando expulsaram a mãe de santo ali de casa, dizendo que precisa do telefone com urgência, pois fez o maior disparate da vida dela com aquela atitude.

Amanda diz a Padre Sebastião que não precisa de ficar ali com ela, mas o padre diz que não a vai deixar sozinha, quando chega Jorge e os dois se abraçam com muita emoção. Miguel está a vestir-se e tem dificuldade em apertar os botões da camisa, quando recebe uma chamada de Otelo, que diz que tinha o telemóvel desligado pois teve de viajar ao Porto, mas mente ao dizer que ainda não tem novidades sobre a venda do banco, ao que Miguel responde que não é sobre isso que quer falar com ele e Otelo combina ir ter ao loft onde está Miguel. Paula e Judite ouvem tocar à campainha e Paula manda a cunhada esconder-se, indo abrir a porta e ficando surpresa ao ver Filardi, que pede desculpas por estar ali, mas precisa da ajuda dela no caso de Rita.

Jorge diz a Amanda para dar o benefício da dúvida a Tomás, pois assim também teria de o considerar culpado pelo rapto de Mafalda quando ele é inocente, prometendo ajudá-la a fazer justiça caso se comprove mesmo que Tomás tem algo a ver com o que aconteceu. Gonçalo interrompe o clima de romance entre Inês e António, dizendo que precisa de trabalhar e ficando a saber que Catarina morreu, tendo caído de uma falésia, o que leva Gonçalo a perguntar se há hipótese de ter sido crime, mas António diz que não sabe. Rita, diante de Laurinda, fala ao telemóvel com a mãe de santo, a quem pede que lhe tire a praga de cima, mas a mãe de santo nega-se a fazê-lo por mais argumentos que Rita use.

Miguel recebe Otelo, disfarçando a falta de forças que sente nas mãos, a quem diz tê-lo chamado ali não para falar do banco, mas sim de Tomás. Lúcio diz a Tomás que vão à perícia ao Instituto de Medicina Legal e Tomás recorda o momento em que Miguel lhe arrancou Catarina dos braços, dizendo a Lúcio que não tem nada contra o facto de irem onde o inspetor quer. No corredor da PJ, Lúcio e Tomás cruzam-se com a Inspetora Marta e, em surdina, Lúcio pede à colega que volte a casa de Miguel e lhe pergunte o que comeu com o filho. Miguel diz a Otelo que teme que Tomás se tenha metido num sarilho, pois a ex-namorada dele morreu numa falésia e o filho até lhe veio pedir para dizer que estiveram juntos, caso a polícia o viesse procurar.

António despede-se de Inês, quando Gonçalo o aborda e lhe mostra a foto, querendo saber quem são aquelas pessoas e António revela que aquela mulher, de nome Maria Teresa, é irmã gémea da sua mãe. Miguel, cínico, diz a Otelo que está receoso com o facto de o filho ter ido à polícia e questiona-se se Tomás não a terá matado, o que leva Otelo a perguntar-lhe se acha isso possível. António explica a Gonçalo e a Inês que a tia Maria Teresa casou com um banqueiro suíço riquíssimo, mas que há coisas que o dinheiro não paga face aos reveses dos últimos tempos, o que leva Inês a perguntar o que se passou. Rita acaba por convencer a mãe de santo a ir lá a casa e fica em choque quando aquela lhe pede cinco mil euros para desfazer a praga, mas Laurinda consegue pôr um travão na patroa, ao dizer que ou paga ou não se vê livre daquilo.

Otelo acaba por concordar com Miguel que Tomás pode vir a ser considerado suspeito e Miguel diz-lhe que, como não consegue encontrar Joaquim, queria que fosse ele a tomar conta daquele caso, já que até é padrinho de Tomás, e Otelo diz que vai pensar no assunto. António revela a Inês e Gonçalo que o filho da tia Maria Teresa morreu num acidente e o tio sofreu um AVC em consequência disso, sendo que a tia agora é a manda-chuva de um império que nem sequer tem herdeiros. Laurinda diz a Rita que o mais importante é livrar-se da praga e Rita concorda, mas não tem aonde ir buscar os cinco mil euros e Laurinda mostra-lhe um faqueiro de prata que talvez possa ser vendido por esse preço.

Miguel está a pegar num copo com as duas mãos, quando batem à porta e ele depara com a Inspetora Marta, que diz que precisa de mais uns esclarecimentos dele. António diz que aquela história mostra que o dinheiro não traz felicidade e Gonçalo fica a saber que o primo de António morreu há um ano e pouco, ficando também a saber que Otelo é afilhado de Maria Teresa. Miguel diz à Inspetora que começa a ficar impaciente com as perguntas dela e Marta deixa-o desconcertado ao perguntar-lhe o que é que ele e Tomás comeram. António explica a Gonçalo que era normal lá em casa apadrinharem pessoas sem recursos e que a tia Maria Teresa apadrinhou Otelo, que foi criado como se fosse da família, acrescentando que atualmente praticamente não existe ligação entre Maria Teresa e a família Ferreira da Fonseca. Gonçalo agradece as informações e diz que tem de sair.

Miguel exaspera perante a pergunta da Inspetora Marta e diz que não se lembra exatamente se comeram peixe grelhado ou vitela, afirmando não entender a relevância daquilo, mas a Inspetora diz-lhe que tem mais do que ele possa imaginar. Gonçalo vai ter com Jorge a casa de Amanda, a quem dá os pêsames, e Gonçalo mostra a foto a Jorge, que quer saber o que é que aquilo significa. Lúcio e Tomás chegam ao Instituto de Medicina Legal, onde Lúcio diz a Tomás que apenas lhe vão tirar uma amostra de ADN. Gonçalo revela a Jorge que o banco suíço é da irmã gémea da mãe de Miguel, que é também madrinha de Otelo, sendo ela quem manda no banco, desde que o marido teve um AVC.

—–

Gonçalo diz a Jorge que confirmou as informações com António e Jorge diz que é demasiada coincidência os donos do banco serem familiares de Miguel, pedindo-lhes que os investigue, mas Gonçalo diz-lhe que Maria Teresa é que tem de ser investigada. Mónica diz a José e a Bia que está preocupada com a demora de Tomás e decide ligar a Lúcio. À porta do Instituto de Medicina Legal, Lúcio, ao telefone, diz a Mónica que Tomás está a fazer exames forenses de rotina, mas já não deve demorar. Mónica agradece e, quando desliga, conta o que se está a passar com o filho, o que leva Bia a dizer que devem estar preparados para tudo. Gonçalo explica que o filho de Maria Teresa morreu e o marido está um vegetal e Jorge diz que tem que perceber qual a relação dela com Miguel, mas Gonçalo diz que António afirmou que mal se falam hoje em dia e Jorge pergunta-lhe se não acha muita coincidência aparecer uma conta em seu nome no banco da tia de Miguel.

Rita está impaciente com a chegada da mãe de santo, mas esta chega logo e é recebida por Laurinda, dizendo a esta e a Rita que só veio para Rita lhe parar de moer o juízo, acrescentando que é bom que Rita acredite no poder das forças ocultas e pedindo-lhe que lhe conte o que se passa, mas Rita nem sabe por onde começar. Jorge diz a Gonçalo que talvez seja melhor falar sobre esse assunto com Bia e liga-lhe, mas Bia diz-lhe que ainda está em casa do avô à espera que o irmão chegue e Jorge diz que também está em casa de Amanda, pedindo a Bia que o avise quando chegar a casa. Bia diz a Jorge que o avisa assim que chegar a casa e despedem-se, um do outro. Lúcio fala com a Procuradora Vieira, a quem pede que coloque o acordo por escrito, pois vai ao encontro do sobrinho a Marrocos, quando aparece a Inspetora Marta e diz a Lúcio que estão despachados do Instituto de Medicina Legal, pois tiraram uma amostra de saliva a Tomás e vão comparar com o material que estava nas unhas de Catarina.

Jorge diz a Gonçalo que Bia ainda está demorada e Gonçalo diz-lhe que vai investigar por outro lado, despedindo-se de Padre Sebastião e de Amanda, a quem diz sentir muito a perda dela, pois conhecia a Catarina da gafieira, e Amanda emociona-se. Rita diz à mãe de santo que quer afastar o marido da amante e a mãe de santo alerta-a de que a magia negra se pode virar contra ela, mas Rita não quer saber e diz à mãe de santo para avançar e esta pede a Rita que durma com uma peça de roupa do marido durante uma semana. No hospital, Tiago recebe a visita de Hadja e Jéssica, que o confortam. Amanda diz a Jorge e a Padre Sebastião que o que mais lhe custa é não poder velar Catarina, mas o Padre diz-lhe que é uma questão de dias e Jorge diz-lhe que, mais importante que tudo, é apurarem a verdade, acrescentando para Amanda que a vida dela não acabou e pedindo-lhe que não desista de viver.

Tomás chega a casa e conta a Mónica, José e Bia que estão a tratá-lo como suspeito, pois fizeram-lhe testes para comparar com pele encontrada nas unhas de Catarina, mas Bia diz ao irmão que assim se dissipam as dúvidas todas em relação a ele e Tomás finge concordar com ele, acabando por ficar sozinho quando Bia vai embora e tanto José como Mónica se retiram. Amanda, Jorge e Padre Sebastião estão a rezar, quando Jorge recebe uma mensagem de Bia a dizer que vai para casa e Jorge diz que vai a casa, mas que volta, porque encontrou uma pista interessante que o pode levar à inocência no caso de Mafalda, perguntando a Amanda se ela sabe quem é Maria Teresa, o que deixa Amanda surpreendida e Padre Sebastião comprometido.

Miguel fala ao telefone com Tomás, que lhe pergunta se não sente remorsos, mas Miguel afirma que não e Tomás diz que o pai vai ser apanhado, pois encontraram pele debaixo das unhas de Catarina, mas Miguel rebate, dizendo que estava a usar luvas e pergunta se o filho também usava. Tomás fica em pânico e pergunta ao pai se o vai deixar ser acusado por uma coisa que não fez, mas Miguel manda-o fazer pouco barulho, diz que está a tratar de resolver a situação e desliga-lhe a chamada na cara, deixando Tomás à beira de um ataque de nervos. Amanda diz a Jorge que Maria Teresa cortou relações com a família quando foi para a Suíça e pergunta a Jorge o porquê do súbito interesse dele nessa mulher, ao que Jorge responde que as provas da PJ têm como fundamento uma conta aberta no banco de Maria Teresa nas Ilhas Caimão.

Hadja queixa-se pelo facto de Jéssica saber que Tiago gostava de Catarina e ele não, mas Jéssica diz que o marido perdeu muita coisa enquanto estiveram separados e deixa Tiago incomodado ao perguntar-lhe se Catarina chegou a saber que ele gostava dela. Jorge diz a Amanda e a Padre Sebastião que não tem conta no banco de Maria Teresa, muito menos numa offshore nas Ilhas Caimão, achando estranho que ela nem sequer tenha vindo ao funeral da irmã. Padre Sebastião mostra-se sempre muito comprometido com a conversa. Mónica insiste para que Tomás coma, mas ele diz que não consegue, quando aparece José a dizer que vai ter com Amanda e Mónica dá força ao sogro, que sai, deixando-a a sós com Tomás, a quem pergunta se matou Catarina.

Tiago diz a Jéssica e Hadja que nunca chegou a dizer o que sentia a Catarina, porque ela vivia obcecada com Tomás e apenas olhava para ela como amigo, mas podia ter sido diferente se lhe tivesse contado, caindo em pranto e sendo consolado por Jéssica e Hadja. Jorge diz a Amanda que vai a casa num instante, mas volta e afirma que não se esquece de quem esteve sempre ao seu lado, o que faz com que Padre Sebastião diga a Amanda, depois de Jorge sair, que tem ali uma espécie de filho e que os laços de amor que unem as pessoas são, por vezes, mais importantes que os laços de sangue. Mónica obriga Tomás a responder-lhe e ele nega qualquer envolvimento na morte de Catarina, recriminando a mãe por equacionar essa ideia e saindo.

Mónica pega no telemóvel e liga para Francisco. Francisco atende Mónica, que lhe diz que precisa dele e Francisco afirma que fica à espera dela. Laurinda e Rita revolvem o quarto desta à procura de uma peça de roupa de António, mas não encontram nada. Jorge chega a casa e diz a Bia que precisa da ajuda dela, mostrando-lhe a fotografia de Maria Teresa com a família e dizendo-lhe que a offshore de onde veio o dinheiro para os raptores de Mafalda pertence à tia-avó de Bia. Padre Sebastião recorda a conversa de Jorge sobre Maria Teresa, quando tocam à porta e José entra, querendo ir falar com Amanda que está no banho, mas Padre Sebastião pede-lhe para esperar, pois precisam de falar sobre Maria Teresa.

Jorge diz a Bia que foi Gonçalo quem o ajudou a juntar todas as pontas, mas Bia diz-lhe que não faz sentido ele achar que Miguel tem alguma coisa a ver com o rapto dos próprios filhos e também porque Miguel e a tia passam anos sem se verem. José pede a Padre Sebastião para falar baixo ou tem um enfarte por causa de Maria Teresa, mas Padre Sebastião diz que ia tendo um quando ouviu Jorge falar no nome dela e José quer saber qual o interesse de Monforte em Maria Teresa e Padre Sebastião começa a explicar-lhe tudo. Lúcio chega a casa e diz a Judite que ainda bem que ela está sozinha, contando-lhe que conseguiu o acordo com o Ministério Público e pedindo-lhe que ligue ao filho, pois precisa de falar com ele.

Miguel liga ao médico, que o atende e pergunta o que é que ele sente para lhe estar a ligar, depois da cena que fez no consultório dele. Miguel diz que tem episódios em que perde as forças nas mãos e não consegue agarrar nas coisas, mas o Médico diz que não há muito a fazer e que essas crises são normais no início da doença. Miguel diz que, se é assim, é melhor nem ir a consulta nenhuma, desligando a chamada e tomando, com alguma dificuldade, um comprimido para dormir. Judite liga a Sérgio, que a atende e ela diz que vai passar a Lúcio, pois ele tem boas notícias. Ao telefone, Sérgio pergunta a Lúcio se aquela história do acordo é mesmo verdadeira. José queixa-se por andarem a remexer no passado, mas Padre Sebastião diz que Jorge está determinado a provar a sua inocência e José mostra-se receoso, dizendo que qualquer investigação de Jorge pode desenterrar coisas do passado que não devem ser trazidas de volta, pois a última coisa que ele quer é ter de voltar a falar com Maria Teresa.

Lúcio, ao telefone, diz a Sérgio que vai pessoalmente a Marrocos para lhe mostrar o acordo e que aquela é uma oportunidade de ouro para livrarem Judite de Joaquim e apanharem o banqueiro. Sérgio diz ao tio que aceita o acordo e que o espera em Marraquexe, pedindo-lhe que lhe ligue quando chegar que ele logo o informa onde está. Lúcio ainda tenta falar com Sérgio, mas constata que ele desligou e diz à irmã que vai a Marrocos, o que Paula ouve quando acaba de entrar e fica eufórica por o marido querer ir com ela a Marrocos. Na associação, Gonçalo lê a notícia sobre a morte do filho de Maria Teresa num acidente de viação. Paula faz uma grande festa por ir a Marrocos com Lúcio, mas este diz que vai a trabalho com Jorge Monforte e que está fora de questão ela ir com ele, saindo para falar com Jorge e deixando Paula a lamentar-se a Judite.

Jorge comenta com Bia que toda aquela ligação a Maria Teresa é estranha, quando recebe um telefonema de Lúcio. Lúcio diz a Jorge que o sobrinho aceitou falar e que podem ir a Marrocos. Jorge diz-lhe que a sua oferta se mantém e combinam viajar no dia seguinte. Quando Jorge desliga, Bia pergunta se o rapaz aceitou falar e Jorge confirma, dizendo a Bia para estar preparada para tudo, pois o pai dela pode não sair bem de toda aquela situação. José diz a Padre Sebastião que não faz qualquer sentido aquela ligação de Maria Teresa a Jorge, quando aparece Amanda e se surpreende ao ver ali José, perguntando-lhe o que veio fazer. Mónica e Francisco estão aos beijos e ele diz-lhe que vai sabendo das coisas dela por Padre Sebastião, já que ela não lhe conta nada, mas Mónica diz que não quer ser um peso para ele e Francisco diz que gosta mesmo dela, o que deixa Mónica à vontade para lhe perguntar se acha que Tomás seria capaz de matar Catarina e Francisco responde que, em teoria, sim, mas que estão no campo da especulação e é melhor deixar que a polícia faça o trabalho dela.

Tomás está de saída e diz a Berta que vai beber um copo para o caso de alguém perguntar por ele. Rita e Laurinda já vasculharam um monte de roupa, quando Rita descobre uns boxers de António e fica eufórica, até que se ouve a voz de Tomás a chamar por ela. Tomás diz a Rita que quer beber um copo com ela ali em casa, pois não teve um dia nada fácil e parece que Rita também não, o que faz com que Rita mande Laurinda servir dois gins reforçados. José diz a Amanda que ela escusa de o mandar embora, porque ele não vai a lado nenhum e os dois têm de estar unidos, o que faz com Padre Sebastião vá embora e diga que avisa Jorge para não vir.

A sós com Amanda, José diz que quer justiça para a filha e começa a suspeitar que Catarina pode ter sido assassinada, tencionando levar aquilo até ao fim, doa a quem doer. Tomás acorda na cama de Rita, ressacado, com ela ao lado de soutien e com os boxers de António. Jorge despede-se de Bia, dizendo que tem Lúcio à sua espera lá em baixo, e Bia diz-lhe para ter cuidado e Jorge mostra-se confiante que a verdade há de vir ao de cima. Jorge entra no carro de Lúcio e os dois arrancam. Numa esplanada em Marraquexe, Joaquim liga a alguém a perguntar onde se podem encontrar.

—–

O carteiro entrega uma carta registada para Jorge a Bia e ela verifica que se trata da marcação da audiência sobre a custódia de Henrique para o dia seguinte, ligando a Jorge, mas ele tem o telemóvel desligado. Vera, com a carta do tribunal na mão, diz a Marlene que acha muito estranho que marquem a leitura da sentença no processo do filho com um dia de antecedência e diz que é provável que aquilo tenha o dedo do ex-namorado. Miguel recebe um telefonema do juiz, a dizer que a sentença será lida no dia seguinte e que a criança voltará para casa do pai, o que leva Miguel a agradecer ao juiz e a murmurar para si que Vera vai aprender a não se meter com a sua família. Tomás, atordoado, pergunta a Rita o que se passou entre eles e Rita diz-lhe que beberam uns copos e relaxaram, afirmando que ele não se comporta nada mal e querendo mais festa com o sobrinho.

Mónica fala ao telemóvel com José, a quem diz que Tomás não dormiu em casa e José diz-lhe que ele pode estar com Miguel ou Bia, e Mónica acha boa ideia ligar-lhes. Amanda pergunta a José o que se passa e este diz que era Mónica a dizer-lhe que Tomás não dormiu em casa e, quando Amanda manda uma boca infeliz, José diz que se há alguém que sabe o que é perder um filho é Mónica e Amanda cai em si, pedindo desculpas a José. Mónica fala ao telefone com Bia, que diz que Tomás não lhe ligou nem apareceu em casa dela, deixando Mónica mais preocupada e ansiosa. Tomás consegue libertar-se de Rita, que quer fazer sexo com ele novamente, dizendo-lhe que é melhor ela começar a investir noutra família, que aquela já deu tudo o que tinha a dar para ela.

Mónica está ao telefone com Bia, quando Berta lhe vem dizer que Tomás passou a noite em casa de Rita, mais concretamente no quarto desta. Bia pergunta à mãe o que aconteceu e Mónica diz que Tomás se meteu na cama de Rita, o que leva as duas a dizerem que ele não está bom da cabeça. José diz a Amanda que Tomás foi fazer uma perícia forense no dia anterior, pelo que não tardarão a saber se ele é culpado de alguma coisa ou não. Marlene incita Vera a lutar, mas esta diz que, se o juiz entregar o filho ao pai, se vai embora do país, mas Marlene diz que ela não se pode deixar levar por uma decisão comprada na justiça e garante-lhe que não vai deixar que um espertalhão a trame, pois ela sabe o que passou quando foi presa e pagou pelo que dezenas de pessoas fizeram.

Tomás chega a casa e tenta escapar-se a uma conversa com Mónica, mas esta pergunta-lhe onde é que estava com a cabeça para se meter na cama com Rita, afirmando que o filho não está bem e Tomás diz à mãe que ela não precisa de o relembrar disso. Rita queixa-se do estado em que está a sua vida e Laurinda diz-lhe que ela está a investir no lado errado, pois devia virar-se para o brasileiro que é um autêntico príncipe, mas Rita afirma que gosta do marido e Laurinda diz-lhe que gosta tanto que até vai para a cama com o sobrinho dele. Paula e Cátia estão de saída e convidam Judite para ir com elas, mas Judite diz que não põe um pé na rua até Lúcio voltar de Marrocos, ligando depois a Padre Sebastião, que lhe diz que sabe que Vera já assumiu a responsabilidade por tudo.

Padre Sebastião está no consultório de Francisco, ao telemóvel com Judite, que lhe diz que precisa muito de falar com ele, mas que não pode sair de casa e pedindo-lhe que vá ter com ela a casa de Lúcio, pedindo-lhe ainda segredo em relação a isso. Miguel vê, juntamente com um jornalista, vários cães para adotar e diz ao subordinado que ainda não se refez da morte da sua cadela, não percebendo as pessoas que abandonam os animais e o jornalista diz a Miguel que, se ele adotar um cão, vai ter um amigo para a vida. Mónica vai a casa de Rita e, ao vê-la com os boxers de António, pergunta-lhe se são os boxers do seu filho, dizendo a Rita que ela precisa de tratamento médico e, quando Rita vai acusar Laurinda de ter contado, Mónica diz que foi o próprio Tomás quem lhe contou, antes de se vomitar com o nojo que aquilo lhe provocou.

Francisco conta a Padre Sebastião que foi aceite para dar aulas nos Estados Unidos, mas que está apaixonado por Mónica e não a quer deixar, e Padre Sebastião aconselha-o a falar com Mónica, porque ela irá entender que não é uma distância temporária que os separa, mas Francisco conta que vai dizer a Mónica que está disposto a abdicar de tudo para ficar com ela. Mónica ameaça arranjar maneira de expulsar Rita da Quinta do Príncipe, quando Bernardo e Sancha aparecem e ficam enojados ao saber que a mãe passou a noite com Tomás, mesmo com Rita a negar e a dizer que tudo não passa de um delírio de Mónica. Em Marraquexe, Joaquim encontra-se com François, que lhe dá o seu novo passaporte e a morada de um hotel, garantindo a Joaquim que ele está mesmo naquela unidade hoteleira.

Jorge e Lúcio estão no lobby do hotel, com Joaquim a observá-los escondido, e Lúcio decide mandar uma mensagem a Sérgio, enquanto Jorge recebe uma chamada de Bia. Bia diz que marcaram a leitura da sentença da custódia de Henrique para o dia seguinte e Jorge estranha, mas Bia diz que é da maneira que as coisas ficam resolvidas. Jorge desliga a chamada e pergunta a Lúcio se Sérgio disse algo, mas Lúcio diz que não. Judite recebe a visita do Padre Sebastião, que lhe pergunta se a conversa tem a ver com Vera, ao que Judite responde que indiretamente, mas que tem a ver com Joaquim e Margarida. Na PJ, a Inspetora Marta recebe uma chamada do Instituto de Medicina legal, ficando a saber que o relatório já está pronto e afirmando que já passará por lá para o apanhar.

Miguel vai à Casa dos Animais e diz a um Funcionário que está disposto a adotar um cão e o Funcionário vai mostrar-lhe os animais. No hotel em Marraquexe, Jorge pergunta a Lúcio se Sérgio terá mudado de ideias, quando Lúcio recebe uma mensagem do sobrinho a perguntar o que é que Jorge faz ali e Lúcio responde-lhe que Jorge o está a ajudar na investigação e é 100% de confiança. Lúcio recebe uma chamada da Inspetora Marta, a quem diz que está no meio de uma operação. Inspetora Marta diz a Lúcio que já receberam o relatório do Instituto de Medicina Legal e que se confirma que a pele encontrada nas unhas de Catarina é de Tomás, perguntando a Lúcio o que faz agora. Rita fala ao telemóvel com o advogado de António, recusando todas as ofertas que são feitas, quando aparece Filardi, que convida Rita para um fim-de-semana de relaxamento completo, o que a deixa surpreendida.

Judite diz ao Padre Sebastião que a conversa que vão ter não pode sair dali e, perante o acordo do padre, Judite começa a desabafar, contando que se mudou para casa do irmão com medo que Joaquim lhe faça mal, que este trabalhava há muitos anos para Miguel e que o seu filho Sérgio é hacker, revelando que foram eles que fizeram desaparecer o processo contra Miguel. Lúcio diz à Inspetora Marta que tem de ter o gajo e ela diz que não queria avançar sem o aval dele, desligando a chamada e Sérgio aproxima-se do tio e de Jorge, revelando que vai confiar no tio e este manda-o sentar-se. Rita faz-se de difícil com Filardi, que diz que a está a convidar com o maior respeito, até porque tem uma casa no Mónaco e pensou que podiam descansar lá, o que leva Rita a dizer que vai pensar no caso dele.

Hadja e Jéssica falam sobre a situação de Tiago e dizem que deviam falar com Vera para ela fazer as pazes com o irmão, já que não convém a Tiago estar sozinho, quando aparece Valdemar, que abraça efusivamente Jéssica e Hadja faz uma pequena cena de ciúmes diante daquele abraço. Lúcio entrega o acordo a Sérgio e diz ao sobrinho que estão ali para o ajudar, pedindo-lhe que leia tudo com calma, enquanto Joaquim os observa à distância com ar intrigado. Miguel brinca com os cães da Casa do Animal enquanto desabafa com o funcionário sobre o facto de estar doente, perguntando se pode dar uma contribuição financeira, ao que o Funcionário responde afirmativamente, e Miguel afirma que a Casa do Animal passará a receber uma mesada choruda e ele virá todos os meses brincar com os animais.

Gonçalo continua as suas investigações, vendo fotos da do mesmo dia daquela em que Miguel se encontrava, e Inês pergunta ao irmão se descobriu alguma coisa. Mónica vai visitar Amanda, que lhe diz que gosta muito dela, mas que não a consegue olhar como não sendo mãe de Tomás, que é o potencial assassino de Catarina. Gonçalo diz a Inês que aquela foto foi tirada num evento num banco suíço e que o primo de Miguel e António morreu no dia a seguir num acidente, mas que António aparece nas fotos do enterro e Miguel não, pedindo a Inês que ligue a António pois precisa de descobrir se Miguel estava no enterro ou não. António aparece em casa de José para ver o pai, mas Berta diz que só estão Bia e Tomás, e António vai ter com os sobrinhos, perguntando a Tomás como é que se sente e este responde que está nervoso por estar a ser tratado como o principal suspeito, quando António recebe uma chamada de Inês a dizer que Gonçalo quer fazer-lhe mais umas perguntas.

Inês diz a António que Gonçalo não se importa que ele responda por telefone e passa o telemóvel a Gonçalo, a quem António pergunta o que se passa agora. Judite diz a Padre Sebastião que assumiu a culpa no atropelamento porque Vera andava a fazer chantagem com Joaquim e Padre Sebastião pergunta-lhe se essa chantagem tem a ver com Margarida. António, ao telefone com Gonçalo, diz-lhe que já estavam de partida para Lisboa quando souberam da morte do primo e ele ficou para o enterro. Gonçalo confirma que Miguel e Otelo voltaram para Lisboa, tendo António ficado a representar a família, e Gonçalo pergunta por que é que o pai dele não foi ao funeral do sobrinho, mas António diz que o pai e a tia não se falam, desconhecendo a razão. António desliga a chamada ao ver a Inspetora Marta chegar com outros Inspetores para deterem Tomás para interrogatório.

Mónica diz a Amanda que percebe o que ela está a sentir, mas diz-lhe que o tempo vai provar que Tomás não é um assassino e José afirma que reza para que assim seja. Tomás tenta libertar-se dos Inspetores e António quer saber por que levam o sobrinho e a Inspetora Marta diz que a amostra de ADN de Tomás corresponde à pele que foi encontrada nas unhas de Catarina, o que deixa Bia e António transtornados, com Tomás a ser levado e a garantir que vai provar a sua inocência. Judite diz ao Padre Sebastião que não lhe consegue contar tudo, mas ele insiste e ela revela que Joaquim matou Margarida. Sérgio assina o acordo e Lúcio diz-lhe que podem ir embora. Sérgio, Lúcio e Jorge avançam, ao mesmo tempo que Joaquim saca da arma, e Jorge se lembra que se esqueceu do seu telemóvel, vendo Joaquim armado e gritando para correrem gerando o pânico entre empregados e turistas.

—–

Lúcio e Sérgio fogem e Joaquim dispara a arma contra Sérgio, mas Jorge atira-se para cima dele a tempo de desviar a trajetória da bala, que fica cravada no teto, permitindo a Lúcio e Sérgio fugirem, enquanto Jorge se envolve com Joaquim à pancada, até que este atinge Jorge com um cinzeiro e o deixa inconsciente, saindo do hotel com a sua arma apontada aos turistas e empregados, que estão em pânico. Bia, com António por perto, fala ao telefone com Mónica, a quem diz que a PJ prendeu Tomás, por considerá-lo suspeito, já que as amostras de ADN do irmão coincidiram com a pele que existia nas unhas de Catarina. Mónica, que está em casa de Amanda, fica chocada com o que a filha lhe diz e quase desmaia, levando Amanda e José a quererem saber o que se passa.

Judite diz a Padre Sebastião que Joaquim matou Margarida para a proteger, pois Margarida tinha um comportamento obsessivo com Joaquim, tendo até ido trabalhar para o mesmo restaurante que ela quando soube que era namorada de Joaquim, mas Padre Sebastião diz que aquilo não corresponde ao que conhecia de Margarida e não consegue acreditar nas palavras de Judite. Amanda e José tentam acalmar Mónica, que lhes conta que Tomás foi preso por causa de Catarina, sendo considerado o principal suspeito de morte desta. Rita fala ao telefone com Paula, a quem pede que dê um saltinho até à Quinta do Príncipe, e, quando desliga, diz a Laurinda que, se Filardi for tão rico como parece, sempre consegue usá-lo para fazer ciúmes a António.

Jorge acorda no hotel, rodeado de turistas e empregados, a quem diz que está bem e liga para Lúcio, que lhe diz que está com Sérgio num local seguro, enquanto Jorge o informa de que Joaquim conseguiu escapar e, como têm de tirar Sérgio dali o mais rapidamente possível, Lúcio diz a Jorge que o apanham no hotel. Mónica diz que está em casa de Amanda, com esta e com José, que estão muito chocados com tudo, e Bia diz que vai ter com eles, mas Mónica diz que tem de sair para ir tratar de umas coisas bem como ver Salvador, dizendo que fala com a filha quando chegar a casa. No jardim da clínica, Salvador está sentado num cadeirão, alheado do mundo, mas, subitamente, parece cair em si e olha em volta com uma sensação de estranheza por não perceber onde está.

Padre Sebastião diz a Judite que lhe custa a acreditar que Margarida fosse assim, mas Judite diz-lhe, com pena de Margarida, que ela até andava a ser seguida por um psiquiatra e que a queria matar, o que deixa Padre Sebastião boquiaberto. Lúcio aparece no hotel com Sérgio, que se encontra disfarçado, e diz a Jorge para irem embora, pois as autoridades marroquinas estão avisadas, uma vez que sabem do acordo. Judite diz a Padre Sebastião que foi Margarida quem atraiu Joaquim ao topo do prédio e que ele a matou para se defender, e Padre Sebastião pergunta a Judite se acredita mesmo naquilo, questionando-a por que razão Vera não denunciou Joaquim à polícia quando foi revelado que havia sido Vera quem atropelou Bia.

Rita recebe Paula, a quem pede que investigue Filardi para saber se ele é mesmo rico, já que tenciona usá-lo para fazer ciúmes a António, o que faz com que Paula estranhe, uma vez que ela queria ver o marido pelas costas, mas Rita confessa que, ainda que não caiba na cabeça de ninguém, voltou a apaixonar-se pelo marido. Padre Sebastião diz a Judite que precisa de apanhar ar e que não era a ele que devia ter contado aquela história, mas sim ao irmão dela, pois aquele segredo tornou-a cúmplice de um homicídio. Ainda ao telefone, Jorge pede a Bia que avise Gonçalo que estão a caminho e, depois de ela desligar, António pergunta à sobrinha o que se passa, mas ela diz que tem de ir à associação falar com Gonçalo e António diz que vai com ela, pois assim aproveita e vê Inês.

Miguel faz um esforço enorme de concentração para abrir uma garrafa de água, quando Mónica, quase sem bater à porta, irrompe pela sala do jornal adentro, contando-lhe que Tomás foi detido. Tomás garante à Inspetora Marta que é inocente e que não lhe fez mal nenhum, levando a Inspetora a pedir-lhe que explique como é que havia pele dele nas unhas de Inês. Mónica diz a Miguel que encontraram vestígios da pele de Tomás nas unhas de Catarina e Miguel finge-se muito surpreso com tudo o que se está a passar, mas fica sem saber o que dizer a Mónica quando ela lhe pergunta se ele a quer acompanhar à PJ para ficarem a saber o que se está a passar. Judite diz a Padre Sebastião que sempre foi amiga de Margarida, mas Padre Sebastião diz-lhe que ela preferiu proteger um bandido a contar a verdade, indo embora com ar transtornado e deixando Judite lavada em lágrimas.

Rita diz a Paula que precisa dos serviços da empresa dela, mas Paula diz-lhe que a empresa acabou, pois, de contrário, o seu casamento acabaria e Rita insiste para que ela faça esta última investigação, pois tem uma hipótese de dar uma vida muito confortável ao filho que vai nascer. Bia e António chegam à associação e, enquanto António vai cumprimentar Inês, Bia conta a Gonçalo que Jorge está de regresso a Lisboa com Lúcio e Sérgio, mas que este escapou por pouco a uma tentativa de homicídio de Joaquim, o que leva Gonçalo a comentar que Joaquim está enterrado em porcaria até ao pescoço. Paula diz a Rita que aceita fazer aquele trabalho, mas que será o último e pelo bem-estar do filho, afirmando que ninguém pode saber, e Rita garante que aquele segredo não sairá delas.

Tomás diz à Inspetora Marta que não fala mais nada sem ser na presença do advogado dele e a Inspetora diz-lhe que vai passar a noite nos calabouços, onde pode ser que mude de ideias e confesse tudo. Mónica e Miguel chegam à PJ, aonde um Funcionário lhe diz que Tomás está a ser interrogado, e Miguel puxa Mónica para a sala de interrogatórios, dizendo saber onde fica. Bia pergunta a Gonçalo se já descobriu mais qualquer coisa sobre o caso Maria Teresa e Gonçalo diz que António lhe contou que Otelo e Miguel estavam na Suíça quando o filho da tia-avó dela morreu, mas não ficaram para o funeral e afirma que gostava de falar com eles sobre essa questão, mas Bia pede-lhe que não faça nada até falar com Jorge primeiro.

Mónica e Miguel entram na sala de interrogatório quando Tomás está a ser algemado pela Inspetora Marta, que lhes pede que convençam Tomás a dizer a verdade, mas Tomás, de olhar raivoso em Miguel, afirma a sua inocência e Miguel, a despedir-se do filho, sussurra-lhe ao ouvido que o tira dali, mas que ele não se atreva a abrir a boca. Jorge chega a casa e Bia enche-o de beijos, com Jorge a dizer-lhe que Sérgio está em casa de Lúcio e que está na hora de a verdade aparecer, quando Jorge repara em Mónica e Bia diz que a mãe veio jantar com eles, contando a Jorge que Tomás está detido por causa da morte de Catarina. Jéssica, Hadja e Cláudia estão à mesa, com Jéssica a mostrar preocupação por não conseguir falar com Tiago e Cláudia a dizer que ele vai precisar de muito apoio por causa da morte de Catarina.

Tiago fica a saber, por Amanda e José, da detenção de Tomás e culpabiliza-se por não ter sido mais duro com este, mas Amanda pede-lhe que não se culpe e José pergunta-lhe se ele estava apaixonado pela filha deles, ao que Tomás responde afirmativamente com um acenar de cabeça. Jéssica queixa-se que o pedaço de comida que comeu estava estragado e diz que precisa de lavar boca e dentes, saindo para o interior, e permitindo a Cláudia dizer a Hadja que Jéssica se arma em forte, mas está devastada com a morte de Catarina. Judite abraça Sérgio, enquanto Paula puxa Lúcio para o quarto. Paula pergunta a Lúcio se Sérgio também vai ficar ali em casa e Lúcio responde que não pode perder o sobrinho de vista enquanto ele não testemunhar, alertando a mulher para ter cuidado com a porta de casa, pois Joaquim pode tentar qualquer coisa.

Mónica diz a Jorge e a Bia que a única coisa boa na família naquele momento é o facto de Salvador parecer estar a melhorar, despedindo-se de Bia e Jorge, dizendo que precisa descansar e saindo, deixando Jorge a consolar Bia, que está muito abalada com toda a história de Tomás. Padre Sebastião diz a Francisco que tem a certeza que Margarida não é aquela mulher que estão a pintar e Francisco diz ao padre que ele devia denunciar o caso à polícia, mas Padre Sebastião diz que não vai adiantar de nada, já que o outro é polícia, e chora, afirmando que Joaquim matou a mulher que ele amava. Sérgio conta a Judite que Joaquim tentou matá-lo, deixando Judite perplexa, e Lúcio confirma, afirmando que Sérgio foi salvo por Jorge, o que deixa Paula impressionada.

Padre Sebastião afirma a Francisco que a morte de Margarida não pode ficar impune, pois aquele bandido atirou-a do topo de um prédio, quando Francisco recebe uma chamada de Mónica. Mónica diz a Francisco que acabou de chegar a casa, não há ali mais ninguém e precisa de companhia. Padre Sebastião diz a Francisco para ir ter com Mónica e para lhe contar da proposta para lecionar nos Estados Unidos. Jorge diz a Bia que Sérgio os vai ajudar muito e Bia fala-lhe da audiência de Henrique no dia seguinte, mas Jorge diz que queria o filho por perto, pois sente que ele não está em segurança com Joaquim à solta, afirmando que este deve ter voltado para Lisboa e não vai ficar quieto.

No quarto, Mónica diz a Francisco que não tem sido a melhor namorada e Francisco acaba por lhe contar a proposta que recebeu para ir lecionar nos Estados Unidos, e Mónica dá-lhe força, dizendo que o namoro deles não é incompatível com a distância e os dois acabam por fazer amor. Marlene chega a casa de Vera, a quem agradece por ficar com Henrique, enquanto ela vai a tribunal à audiência para decidir a guarda do filho e Marlene fica penalizada por ela ir sozinha. Miguel está ao telefone com Otelo, a quem conta que Tomás foi detido e recrimina por não ter conseguido ainda fazer nada. No tribunal, o Juiz lê a sua decisão e decide atribuir a guarda integral de Henrique a Jorge, para gáudio deste e de Bia, o que contrasta com a devastação de Vera. Lúcio confronta Tomás, acompanhado pelo advogado, com as provas de ADN e as do rodado de carro, mas Tomás clama a sua inocência, contando que esteve no local com Catarina, mas que foi Miguel quem a empurrou.

—–

Jorge, Bia, António e Inês festejam com euforia a decisão do juiz, que é chamado de corrupto por Vera e ameaça processá-la, sendo Vera levada para fora do tribunal pelo seu advogado. Lúcio pergunta a Tomás se foi o pai dele quem matou Catarina e Tomás confirma, contando que Miguel lhe pedira para atrair Catarina àquele sítio porque ela tinha uns documentos que o incriminavam, mas não fazia a menor ideia que Miguel a queria matar. Miguel, ao telefone com Otelo, ameaça este, dizendo que ele sofrerá as consequências caso aconteça algo a Tomás. Otelo diz a Miguel que não tem medo das ameaças dele, afirmando que, se Tomás fez porcaria, tem mais é de pagar por isso, deligando a chamada na casa de Miguel, que fica irado.

À porta do tribunal, Vera diz ao advogado que têm de recorrer daquela decisão, quando aparecem Jorge e Bia, e Vera vai ter com eles, acusando Jorge de lhe estar a roubar o filho e dizendo a Bia que tudo é culpa das queixinhas que ela foi fazer ao pai, o que deixa Bia sem perceber nada. Lúcio quer saber de que documentos Tomás está a falar e este diz que eram documentos que Amanda tinha e que Catarina havia roubado à mãe, mas que lhos mostrou e os ia entregar à polícia, o que leva Lúcio a dizer que não receberam nenhuns documentos e Tomás diz que sabe isso, porque contou ao pai e aconteceu o que aconteceu, quando a sua intenção era apenas evitar mais um escândalo para a família. Francisco e Mónica estão de saída, cruzando-se com José, que vem a chegar, e Mónica mente que chamou Francisco para ir com ela falar com o diretor da clínica onde Salvador está internado, pois parece que este melhorou, e José fala que, pelo menos, existe uma boa notícia, afirmando que veio buscar roupa para voltar para casa de Amanda, que quer ficar perto das coisas de Catarina.

José pergunta a Mónica por Tomás e esta afirma que não sabe de mais nada, tencionando passar na PJ depois de ir à clínica. No jornal, um Jornalista diz a Miguel que recebeu a notícia de uma fonte de que o filho dele, Tomás, havia sido detido por ser suspeito da morte da ex-namorada, quando Vera lhe invade o gabinete e acusa Miguel de ser o culpado de tudo. Tomás diz a Lúcio que, apesar dos preconceitos que tinha, gostava de Catarina, mas Lúcio reage com ironia e provoca Tomás, dizendo que nem imagina como seria se não gostasse, já que a atraiu para a morte, mas Tomás reafirma que não sabia o que o pai tencionava fazer. Vera diz a Miguel que ele lhe mete nojo, pois não tinha o direito de lhe roubar o filho, e Miguel pergunta-lhe que direito é que ela tinha de lhe tentar matar a filha e a neta.

Tomás diz a Lúcio que, naquele sítio bonito, quase beijou Catarina, quando Miguel apareceu e a empurrou com força, ainda que ele a tenha tentado agarrar e daí os vestígios da pele dele nas unhas de Catarina, e Lúcio pergunta-lhe como é que ele pode provar que o pai esteve com ele naquele sítio. Vera tenta virar Miguel contra Bia, dizendo que esta escolheu ficar com Jorge, mas Miguel não se deixa manipular e afirma que, aconteça o que acontecer, Bia será sempre sua filha, acusando ainda Vera de ser desequilibrada e expulsando-a do escritório. Valdemar entra na gafieira e vê Jéssica, empoleirada num escadote, a pendurar uma coisa e alerta-a para o perigo de cair dali, mas Jéssica não lhe dá ouvidos, deixando Valdemar e Hadja em pânico.

Tomás diz a Lúcio que não tem como provar que o pai esteve com ele, mas garante que matou Catarina e Lúcio rebate que ele quase fez isso também uma vez, levando Tomás ao desespero, sempre a clamar por inocência. Mónica chega à clínica e fica feliz ao ver Salvador, sorridente, a falar com Cláudia, que diz a Mónica que ele ainda não se calou, e Salvador pede desculpa à mãe por tudo o que andou a fazer. Marlene abre a porta a Jorge e Bia, que vêm buscar Henrique, que fica eufórico, mas Marlene diz que não levam Henrique a lado nenhum, e Jorge diz que tem ordem do tribunal e chama a polícia se for preciso, mas Bia pede-lhe que tenha calma, pois Vera deve estar a chegar. Paula entra no banco e vai distribuindo bolinhos pelos antigos colegas, afirmando que estava cheia de saudades deles.

Lúcio entra no seu gabinete, onde estão a Inspetora Marta e Sérgio, já com uma câmara de vídeo montada, e Lúcio pede à Inspetora que chegue ao corredor para falarem. Lúcio pede à Inspetora Marta que vá buscar Miguel para ser interrogado, pois o filho acusou-o de ter matado Catarina, e a Inspetora Marta diz que faz isso com todo o gosto, pois não pode com Miguel nem um bocadinho.Lúcio entra no seu gabinete e pergunta a Sérgio se está pronto, ao que o sobrinho responde afirmativamente, e Lúcio põe a gravar o interrogatório, começando pelo desaparecimento do processo de Miguel e Sérgio explica que foi contactado em Inglês, sem sequer sonhar que era Joaquim quem o estava a contratar, pois todos os seus clientes o contactam em Inglês.

Vera entra em casa e pergunta o que é que Bia e Jorge fazem ali, ao que Jorge responde que veio buscar Henrique conforme determinou o juiz, mas Vera diz que não quer saber de sentença nenhuma e que não vai deixar que levem Henrique. Paula, em surdina, pede a um colega que lhe faça um favor, dizendo que ele é dos poucos que tem acesso a dados internacionais, mas garante que paga bem por esse favor. Bia diz a Vera que ela não pode fazer aquilo e Vera discute com Jorge e Bia, afirmando que vai lutar por Henrique e afirmando que o juiz foi comprado por Miguel para dar a guarda integral a Jorge e Bia. No hospital, Tiago vem ter com Hadja e Valdemar para lhes dizer que Jéssica tem uma luxação no ombro, mas não é nada de grave, embora se encontre a fazer mais exames, e pedindo a Hadja que espere mais uns minutos para ir ver a mulher.

Tiago entra no quarto de Jéssica, que lhe diz que é um exagero e pede-lhe que lhe dê alta, alertando-a que tem de ter cuidado no estado em que se encontra e revelando-lhe que está grávida. A Inspetora Marta entra no gabinete de Miguel no jornal sem bater e afirma que não veio fazer uma visita social, tendo vindo buscá-lo para o levar para ser ouvido na PJ. Jéssica, em choque, diz a Tiago que não pode estar grávida, mas ele garante-lhe que está grávida de dez semanas e Jéssica, ainda mais chocada, pede-lhe confidencialidade total e revela-lhe que nessa altura não estava com Hadja. Jorge pergunta a Vera que história é aquela de Miguel ter comprado o juiz e Vera diz que é o resultado de Bia ter ido contar ao pai que a tentou atropelar, mantendo a postura de não deixar Henrique ir com eles, o que faz Jorge chamar a polícia.

Miguel diz à Inspetora Marta que não vai a lado nenhum sem uma ordem judicial e ela pergunta-lhe se ele quer mesmo perder tempo, quando tem um filho acusado de homicídio, mas Miguel afirma que não vai defender um homicida só por que é filho dele e a Inspetora diz-lhe que já descobriram que eles não almoçaram juntos no dia do crime. Jéssica diz a Tiago que aquele filho é de Gonçalo e pede-lhe que não conte nada ao primo, mas Tiago diz que está ali como médico e que ela não cometeu nenhum crime, mas Jéssica afirma que, além de isso ser muito bonito em teoria, é muito injusto, pois estava a entender-se com Hadja e que os dois já haviam tentado várias maneiras de terem outro filho e nunca conseguiram.

O colega de Paula diz-lhe que, se alguém souber do que ele fez, acaba na rua, mas Paula promete sigilo total e garante que ainda vai ganhar um bom dinheiro, indo embora. Paula liga a Rita dizendo que tem boas notícias para ela, mas não lhas pode dar pelo telefone, perguntando-lhe se está por casa. Miguel diz à Inspetora Marta que não vai cair no jogo dela e que só comparecerá na Judiciária quando for convocado pelos meios oficiais, e a Inspetora diz-lhe que assim o fará, mas garante a Miguel que ele não se ficará a rir. Jéssica diz a Tiago que não tem coragem de estar casada com um homem e ir ter um filho de outro, afirmando que vai fazer um aborto. Mónica fala com o médico de Salvador, que lhe diz que o filho teve uma recuperação milagrosa e só não lhe dá alta imediatamente, porque acha mais prudente que ele fique ali ainda uns dias.

Aparecida fala com a imagem da sua santa, afirmando que basta ela fazer o milagre de curar Salvador e regressará ao Brasil, por muito que isso lhe custe. Sérgio diz a Lúcio que guardou uma cópia do processo no computador e fica de boa aberta quando o tio lhe conta que Joaquim deu cabo do computador a tiro. Jéssica diz a Tiago que, se não puder abortar legalmente, faz um aborto ilegal e Tiago afirma que ela está a pensar de cabeça quente, pois aquela criança pode concretizar o sonho dela e de Hadja, se for educada pelos dois, ainda que seja filho biológico apenas dela. A agente Marília diz a Vera que ela não tem que questionar se a decisão do juiz é justa ou injusta, mas sim cumpri-la e Vera afirma que o juiz foi comprado pelo pai de Bia e a Agente Marília diz-lhe que, quando tiver provas disso, pode queixar-se ao Provedor da Justiça, ordenando-lhe que vá buscar a criança.

A Inspetora Marta interrompe a conversa de Lúcio e Sérgio, pedindo um minuto a Lúcio para falar com ele. Lúcio pergunta à Inspetora Marta por Miguel, mas esta diz que ele se recusou a vir sem uma ordem judicial e que dá a sensação de que se está a marimbar para o filho, quando aparece Mónica a perguntar como é que está Tomás. Jéssica e Tiago vêm do quarto com Jéssica pronta para sair e Valdemar e Hadja vão ao encontro deles, com Tiago a dizer a Jéssica para se cuidar e Hadja abraça-a, afirmando que vai cuidar da sua rainha. Gonçalo liga a Otelo, que diz que não está interessado em fazer comentário para jornal nenhum. Otelo ouve Gonçalo dizer-lhe que está a fazer uma investigação.

Gonçalo diz a Otelo que ele tem mais a ver com essa investigação do que pensa, pois trata-se de algo relacionado com Maria Teresa, ficando um silêncio pesado do outro lado da linha. Lúcio diz a Mónica que esteve a interrogar Tomás e Mónica pede-lhe que a deixe ver rapidamente o filho, levando o Inspetor a concordar com ela numa visita rápida. Gonçalo, ao telefone, diz a Otelo que parecia que ele não estava em linha. Otelo pergunta a Gonçalo o que quer saber sobre Maria Teresa e Gonçalo afirma que são umas perguntas rápidas. José diz a Padre Sebastião que Amanda foi dormir um pouco e, reparando que o padre não está bem, pergunta-lhe se lhe quer contar o que se passa. A Agente Marília traz Henrique, dizendo-lhe que ele vai viver com o pai, e Henrique diz a Vera que nunca gostou dela, mas Jorge pede-lhe para respeitar a mãe e Vera afirma que vai recorrer da decisão, ao que Jorge responde que será o primeiro a acatar a ordem do juiz seja ela qual for.

Paula conta a Rita que Filardi é podre de rica e Rita começa a pular de alegria, pois vai ser muito rica, o que faz Paula também pular de contentamento, mas logo se retrai, lembrando-se da gravidez. Padre Sebastião conta a José a sua história com Margarida, revelando-lhe que a amou e que pensava que ela se podia ter suicidado por sua causa, mas que descobriu que ela foi morta por Joaquim, o inspetor da PJ. Vera, muito revoltada, diz a Marlene que Bia não lhe vai ficar com o filho e Marlene diz-lhe que não pode ter filhos, mas percebe o desespero dela e dá força a Vera para lutar até às últimas consequências. Lúcio entra com Mónica na sala onde Tomás está com o advogado e fica a sós com o filho, que lhe pede que acredite na sua inocência e lhe revela algo que já revelou à polícia: foi Miguel quem matou Catarina.

—–

Jorge e Bia entram em casa com Henrique, que abraça Aparecida com euforia e esta leva-o para dentro, deixando Bia a sós com Jorge, a quem diz que tem saudades dos dias de paz na fazenda, mas Jorge diz que não pode sair de Lisboa com tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo. Tomás conta à mãe que foi ele que atraiu Catarina até ao local, mas garante que foi Miguel quem a empurrou e Mónica questiona-se sobre o interesse de Miguel em matar a rapariga e Tomás começa a contar-lhe a história dos documentos que incriminam Miguel. Paula garante a Rita que Filardi é «banhado a ouro» e Rita diz-lhe que não entende como é que ele trabalha, mas Paula diz-lhe que há ricos com o complexo de rico, deixando Rita desconcertada.

Sérgio diz a Lúcio que Joaquim não pode escapar impune e afirma que vai vasculhar a vida dele, pois pode descobrir algo que os ajude, o que Lúcio agradece, fazendo com que Sérgio comece a pesquisar logo no computador. Bia pergunta a Jorge o que é que o está a preocupar e Jorge diz-lhe que é não saber onde Joaquim se encontra, pois todos correm perigo de vida. Joaquim acaba de chegar, disfarçado, ao aeroporto de Lisboa, vindo a falar ao telemóvel com a sua gestora no BBFF, a quem diz que quer levantar todo o seu dinheiro. A gestora diz a Joaquim que o banco está sob intervenção e nada pode fazer, mas Joaquim diz que são as poupanças de toda a sua vida e a gestora diz-lhe que compreende a revolta, mas está de pés e mãos atados.

José pergunta a Padre Sebastião qual era a relação de Margarida com Joaquim e Padre Sebastião diz-lhe que Margarida lhe contou que era perseguida por um tipo da polícia e que ele próprio chegou a confrontar Joaquim, mas que este inventou que Margarida é que o perseguia, afirmando que não sabe o que faz a Joaquim se o encontrar. Paula explica a Rita que, como gestora, conheceu muitos ricos que tinham vergonha de o ser, como se se sentissem culpados de terem muito e outros não terem e Rita considera aquilo um disparate, querendo saber tudo o que Filardi possui, além da casa no Mónaco. Padre Sebastião diz a José que as palavras dele são exatamente aquilo que ele quis dizer e que não é com prisão que se faz justiça a Margarida, mas a conversa é interrompida pela chegada de Amanda, a quem Padre Sebastião diz que veio ver como estava.

Vera diz a Marlene que perdeu todos os objetivos e afirma que não sabe o quer mas que sabe o que não quer, e Marlene diz que isso já é um começo e Vera revela que não quer que Bia seja feliz com Jorge. Bia diz a Jorge que tem de ligar à mãe para saber de Tomás e Jorge pergunta-lhe se ela acha que o irmão era capaz de matar alguém, mas Bia diz que não sabe de mais nada, depois de descobrir que tipo de pessoa era o pai e do que Salvador fez. Hadja entra em casa com Jéssica, sempre muito querido com ela, fazendo-a chorar quando a deixa a sós a recordar as conversas com Tiago sobre o bebé que carrega no ventre. Gonçalo conta a Inês que Otelo está a caminho ali da Associação para falar com ele, afirmando que Otelo ficou surpreendido com o assunto e garantindo a Inês que vai conseguir descobrir qualquer coisa.

No seu palácio em Genebra, Maria Teresa ouve música clássica, quando recebe um telefonema de Otelo que lhe diz ter um abelhudo de um jornalista que lhe quer fazer perguntas sobre ela, mas Maria Teresa diz a Otelo que nada pode falhar naquela fase final. Otelo garante que nada falhará e Maria Teresa, preocupada, diz-lhe que faça o que for preciso para que assim seja. Rita fica surpreendida por Filardi ter um iate com 30 metros e Paula diz-lhe que é só zarpar com o brasileiro e deixar o marido a ver navios, o que deixa Rita melancólica e a afirmar que, nos últimos tempos, só aconteceram coisas boas com António. Tomás garante a Mónica que tudo se passou como lhe contou e Mónica pergunta-lhe se tem provas, mas Tomás diz-lhe que é a palavra dele contra a do pai e Mónica afirma que isso não chega nem para a convencer a ela nem para sair dali.

Miguel liga para Otelo, mas a chamada vai parar ao voicemail e Miguel deixa-lhe mensagem a dizer que Otelo não percebeu a gravidade da situação e a exigir que o ajude, desligando a chamada e resmungando que o outro se deve achar muito importante agora. Vera diz a Marlene que se sente quase primária ao querer a infelicidade de Jorge e Bia, mas Marlene diz que o amor desperta esse lado das pessoas, acrescentando que se a patroa quiser ideias para chatear aqueles dois, tem ali uma fonte de inspiração, pois ela não imagina o que se ouve na prisão, o que deixa Vera interessada. Rita diz a Paula que o plano com Filardi seria perfeito se não gostasse ainda de António, porque se apaixonou pelo marido entretanto, o que surpreende Paula, que lhe diz que normalmente acontece é o contrário.

Mónica diz a Tomás que gostaria muito de acreditar nele e pergunta pelos documentos, mas Tomás diz que Miguel já os deve ter destruído, quando a Inspetora Marta vem dizer que o tempo acabou e Mónica afirma a Tomás que vai tirar aquela história a limpo, enquanto este lhe suplica que acredite na sua inocência. Mónica pergunta à Inspetora Marta se têm alguma prova que possa colocar o ex-marido dela no local do crime e, depois de muita insistência e de apelar ao lado maternal da Inspetora, esta diz a Mónica que não têm prova nenhuma, mas que Miguel se recusou a acompanhá-la para ser ouvida e que o seu instinto lhe diz que aquela história ainda vai render bastante. Rita confidencia a Paula que António nunca lhe deu pica mas que arranjou maneira de a enlouquecer, enquanto Paula lhe confidencia que casou com Lúcio na esperança de enriquecer mas este nunca saiu da cepa torta, embora sempre a compensasse de outra maneira.

Vera diz a Marlene que já tem problemas suficientes com a justiça para andar a fazer as coisas que ela lhe está a sugerir, mas Marlene oferece-se para as fazer no seu lugar, garantindo a Vera que faz tudo em nome da profunda admiração que sente por ela. No jornal, Miguel recebe uma chamada de um número anónimo e, ao atender, constata que é Joaquim, dizendo que está farto de andar atrás dele e Joaquim pede-lhe que se encontrem em casa de Miguel e este manda-o ir ter ao loft da filha dele, onde está a residir. Na PJ, Mónica recebe um telefonema de Bia, que lhe diz que já estava preocupada com ela e a quem conta que conseguiram a guarda de Henrique, mas percebe que alguma coisa se passa com a mãe, querendo saber o que é.

Mónica conta a Bia que Tomás lhe disse que foi Miguel quem empurrou Catarina e pede ajuda a Bia para saber em qual dos dois deve acreditar, pois sabe que Tomás é homofóbico e pode estar a atirar propositadamente as culpas para cima do pai. Vera diz a Marlene que está cansada e pede-lhe que continuem a conversa noutro dia, assim como para a deixar sozinha, o que Marlene faz e vai embora, deixando Vera muito tensa. Rita diz a Paula que António a deixou viciada em sexo e que, nos dias em que ele esteve amnésico, praticamente não saíram do quarto, deixando Paula de boca aberta com as confidências que Rita lhe faz. Bia, ao telefone, despede-se de Mónica e diz a Jorge que Tomás afirma que foi Miguel quem matou Catarina, levando Jorge a perguntar-lhe por que é que Miguel faria isso.

Lúcio diz a Sérgio que tem de sair, mas ele pode ficar ali a trabalhar à vontade e Sérgio diz que está a controlar todos os postos fronteiriços de entrada em Portugal, afirmando que, mesmo que ele entre com uma identidade falsa, a fotografia do documento terá de ser sempre a dele e vai conseguir encontrá-lo através do computador.Rita continua a fazer confidências a Paula, que está estarrecida, e Laurinda dá-lhe as boas-vindas ao clube, mas Rita manda a empregada trabalhar. Bia diz a Jorge que ele tem de falar com Amanda para saber se a história dos documentos é verdadeira e Jorge confirma que é, pois foi ele quem pediu a Amanda que reunisse esses documentos contra Miguel antes de ir para o Brasil, mas que depois desapareceram e, pelos vistos, parece que foi Catarina quem se encarregou disso.

Otelo chega à Associação e Inês sai, deixando-o a sós com Gonçalo, que lhe diz quer aceita qualquer informação sobre Maria Teresa e Otelo pergunta-lhe a que propósito está a fazer aquela investigação. Miguel, em casa, serve-se de uma dose de whisky, que bebe de um só trago, ao lembrar do momento em que empurrou Catarina na falésia. Mónica chega ao banco e pede desculpas a Beltrão pelo atraso, mas este diz-lhe que não faz mal, informando que já têm o tipo que representa o fundo brasileiro à espera na sala de reuniões. Padre Sebastião tenta confortar Amanda e José, dizendo-lhes que Deus chama primeiro para perto de si os que mais ama, quando aparecem Bia e Jorge, e este pede desculpas por não ter aparecido no dia anterior, mas teve de ir a Marrocos e diz a todos que têm coisas importantes para lhes contar.

Otelo diz que pouco sabe sobre Maria Teresa, mas Gonçalo apanha-o de surpresa ao perguntar-lhe se ela tinha alguma relação com a família de Zé Maria Magalhães. Beltrão e Mónica entram na sala de reuniões, onde estão Filardi e dois Assessores, e Filardi diz a Mónica que finalmente tem a honra de conhecer a grande mulher da família e Mónica afirma não ser nada disso ou não estaria a vender um banco, mas Filardi afirma que a culpa não é dela mas da conjuntura internacional. Otelo pergunta-lhe a que propósito é que Maria Teresa havia de ter alguma coisa a ver com a família de Jorge e Gonçalo diz que, como Otelo esteve com a madrinha há menos de um ano (e não de século em século como ele diz), tinha a esperança que ele lhe pudesse contar mais qualquer coisa sobre ela.

Jorge garante que Joaquim é o responsável pelo desaparecimento do processo contra Miguel e afirma a José que lhe vai provar que não tem nada a ver com o rapto da neta dele, acrescentando que há mais a contar sobre Miguel, já que estão a falar dele. Mónica diz a Filardi que a proposta deles é boa, mas tem de ser melhorada, pois a venda do banco despertou o interesse do mercado internacional e estão a analisar várias propostas com calma, mas Filardi diz-lhe que não encontrarão nenhuma tão boa como a deles. Rita leva Paula ao quarto para esta trocar de camisa que ficou com uma nódoa e Paula quase desmaia ao ver a quantidade e qualidade das carteiras de Rita, mas inventa que sofreu uma quebra de tensão por causa da gravidez. Inês chega a casa e António diz-lhe que precisa de encontrar um rumo profissional para a sua vida, pois sempre viveu na sombra do pai, mas agora precisa de encontrar outro caminho, citando o exemplo de Otelo, e Inês conta-lhe que Gonçalo está a falar com ele por causa da fotografia que viu, levando António a perguntar-lhe o que é que o irmão dela quer saber.

Otelo diz a Gonçalo que estava na Suíça em negócios quando a madrinha soube e os convidou para aparecer no aniversário do banco dela, mas que pouco contacto tem e afirma a Gonçalo que veio ali perder o seu tempo, indo embora e deixando Gonçalo mais desconfiado. Sérgio descobre Joaquim com um passaporte falso com o nome Fernando Serra, ficando satisfeito por tê-lo caçado. Jorge diz a Amanda, José e Padre Sebastião que Tomás afirma ter sido Miguel quem matou Catarina e Amanda, muito abalada, diz que a filha morreu por causa dos documentos que reuniu. Miguel abre a porta a Joaquim e vai servir-se de um whisky, ficando de costas para Joaquim, a quem diz que Tomás foi detido enquanto ele esteve fora, mas que quer o caso arquivado, gelando quando vê que Joaquim lhe aponta uma arma.

—–

Jorge tenta acalmar Amanda, dizendo que a culpa não é dela e que, embora não lhes seja possível confirmar se os documentos desapareceram de casa de Amanda, é muito provável que tenham sido levados por Catarina, quando aparece Lúcio. Miguel recua perante a arma que Joaquim lhe aponta e Joaquim exige que Miguel arranje maneira dos tipos do banco lhe darem o seu dinheiro imediatamente, com Miguel a apelar à calma, mas percebendo que Joaquim não está para brincadeiras. Lúcio diz que precisa de falar com Amanda e José pergunta ao inspetor se descobriram alguma coisa, e Lúcio diz que, durante o interrogatório de Tomás, este contou que a Catarina tinha consigo uma pasta com documentos comprometedores contra Miguel e que tinha sido Amanda a juntar esses documentos ao longo dos anos, perguntando a Amanda se é verdade.

Otelo está ao telefone com Maria Teresa, que está demasiado chateada. Otelo fala-lhe na foto em que estão todos juntos e Maria Teresa quer saber como é que o rapaz ligou as coisas. Otelo acha que ele estava a mandar para o ar para ver se pegava, ou isso ou teve a ajuda do Monforte. Maria Teresa, ao telefone com Otelo, pede-lhe para a manter informada. Otelo diz-lhe que está no BBFF e que vai ter uma reunião com Mónica e Maria Teresa pede-lhe que despache também esse assunto. Otelo, confiante, tranquiliza-a. Rita gaba a coragem de Paula por esta pensar em ter um filho naquela idade, mas logo desfaz o elogio, o que deixa Paula horrorizada e, como se nada fosse. diz-lhe para marcar o encontro com Filardi.

Amanda conta tudo a Lúcio, perante o olhar atento de Jorge, Bia, José e Padre Sebastião. Jorge confirma que estava com Amanda quando esta deu pelo desaparecimento dos documentos. Lúcio pergunta se não há cópias e Amanda nega, pois nunca lhe ocorreu que pudessem ser roubados. José sente-se arrasado com as trafulhices de Miguel. Bia recebe uma chamada de Bruno e diz que tem de ir à associação. Jorge insiste que o motorista a leve e esta acaba por ceder. Jorge acompanha Bia até ao carro. Amanda, frustrada, diz a Lúcio que sua intenção era provar que Miguel era corrupto e que podia estar envolvido na morte de Zé Maria, mas que acabou por na fazer nada, mas aquando da morte de Mafalda, foi quando pensou entregar-lhe os documentos.

Joaquim, totalmente descontrolado, encosta a arma à cabeça de Miguel e exige o dinheiro, mas Miguel diz-lhe que não pode fazer nada porque não tem acesso ao BBFF e tem as contas congeladas. Joaquim diz-lhe que precisa do dinheiro para fugir e que sabe que ele tem dinheiro escondido, porque de outra forma não teria conseguido pagar para o processo desaparecer do tribunal. Miguel diz que pediu emprestado a um amigo, mas já gastou tudo. Joaquim, enervado, bate com a arma na cabeça de Miguel e sai dizendo que este vai pagar. Lúcio está espantado com o que acabou de ouvir e pergunta a Amanda porque desistiu de lhe entregar os documentos. Amanda diz-lhe que foi porque ficou a saber que o Zé Maria e Jorge eram a mesma pessoa, mas que mais valia não ter descoberto, pois provavelmente a filha ainda estaria viva.

José tenta reconfortá-la e Lúcio diz que o único culpado é Miguel e que, embora não tenham provas para o acusarem, tem plena convicção de que ele é culpado. Amanda quer é saber relativamente à morte da filha e Lúcio diz-lhe que estão a investigar, quando recebe uma chamada de Sérgio.Sérgio está ao telefone com Lúcio e conta-lhe que Joaquim voltou para Portugal. Miguel fala ao telemóvel com Otelo e diz-lhe que precisa de conversar com ele e que é urgente, e Otelo pergunta se ele o vai chatear novamente por causa da história do Tomás, mas Miguel diz-lhe que é um assunto sério que diz respeito aos dois. Otelo, ao telemóvel com Miguel. quer saber do que se trata, mas Miguel diz-lhe apenas que são coisas do passado e para Otelo ir ter lá a casa com ele.

Rita tenta convencer Paula a organizar um jantar na sua casa de modo a encontrar-se com Filardi como se fosse uma casualidade. Paula não está convencida, mas Rita não desiste. Lúcio está ao telemóvel com Sérgio, muito entusiasmado por terem descoberto Joaquim, pedindo-lhe para encontrar a localização exata e dizendo-lhe que vai já ter com ele, cruzando-se, na saída, com Jorge, a quem diz que Joaquim voltou a Portugal com um passaporte falso. Mónica conversa com Beltrão sobre Filardi e diz-lhe que não gostou dele, que lhe parece dissimulado. Beltrão concorda com ela. Monica diz-lhe que ainda tem de analisar alguns aspetos da outra proposta e que se as diferenças entre as duas não forem significativas opta por vender o banco ao fundo europeu.

Filardi, ao telemóvel com Miguel, diz-lhe que acabou de sair da reunião com Mónica e que ela não parece estar feliz com a possibilidade de vender o BBFF, mas que só aceita por não ter alternativa. Miguel está deitado no sofá a falar ao telemóvel com Filardi enquanto segura um saco de gelo na cabeça, e pergunta-lhe se Mónica não ficou animada com a proposta. Filardi tranquiliza-o dizendo que a decisão não depende só de Mónica e que não vai haver outra proposta tão boa com o banco naquela situação, e Miguel espera mesmo que seja como Filardi diz, porque já é altura de alguma coisa correr bem na vida dele. Filardi pergunta o que é que se está a passar e Miguel é evasivo. Filardi recebe uma chamada de Paula, despede-se de Miguel e atende Paula.

Paula, ao telefone com Filardi, tem Rita ao seu lado a comandar o telefonema e diz a Filardi que convidou Rita para um jantar em sua casa e que se lembrou que talvez ele gostasse de ir e assim encontrar Rita, como se fosse por acaso, deixando Filardi contente com a ideia. Jorge fala com Lúcio afastado de Amanda, José e Padre Sebastião, dizendo-lhe que todos eles são alvos potenciais de Joaquim e que têm de o encontrar antes que ele os encontre, no que Lúcio concorda. Depois de Lúcio sair, Jorge diz aos presentes que vai ter de sair para ir ter com Bia, o que causa preocupação, mas Jorge tenta tranquilizá-los, dizendo que está tudo bem. Mónica e Beltrão recebem um sorridente Otelo, que quer saber como estão a correr as negociações de venda para responder ao ministro, mas Mónica diz-lhe que poderia ter ligado e Otelo diz-lhe que assim tem oportunidade de vê-la.

Mónica ignora o elogio e diz-lhe que só tem duas propostas uma de um fundo brasileiro e outra de um europeu, e que já reuniu com o representante do fundo brasileiro e não gostou dele, preferindo que o BBFF fique em mãos de outro tipo de pessoas, o que deixa Otelo visivelmente satisfeito. Rita despacha Paula, dizendo para esta ir cozinhar mas para ter atenção ao jantar, pois ela não quer comida de pobre. Paula ainda pergunta o que é que Rita considera comida de pobre e esta responde que são coisas para encher. Laurinda disponibiliza-se para lhe dar umas sugestões ao agrado de Rita, mas Paula diz que não precisa porque tem uma cozinheira finíssima. Rita fica desconfiada, mas Paula mantém uma pose altiva e sai, deixando Rita e Laurinda a pensar se será mesmo assim.

Otelo está a despedir-se de Mónica e diz-lhe que está satisfeito por ver que a venda está bem encaminhada e que ela se vai ver livre daquele trabalho que detesta, mas Mónica diz-lhe que não é da maneira que imaginou e que é irónico que ele esteja agora naquele papel de protetor do sistema financeiro, quando durante tantos anos esteve ao lado de Miguel e o ajudou nas trafulhices que arruinaram o banco, mas Otelo acha que ela está a ser injusta. Otelo muda de conversa diz-lhe que continua linda, que tem pena que ela tenha acabado com ele e que continua a ter esperança. Ela diz-lhe que tem namorado e que finalmente encontrou alguém que vale a pena amar. Bia chega à Mundo Verde e, antes de ser cumprimentada por Gonçalo. recebe uma chamada de Jorge a perguntar-lhe se ela já chegou.

Jorge está ao telemóvel com Bia, à porta de casa de Amanda, e diz-lhe que vai ter com ela, porque acabou de saber que o Joaquim voltou a Lisboa e ele não que que ela esteja sozinha, pedindo-lhe que não saia da associação, ao que ela responde afirmativamente. Cátia e Judite conversam sobre as injustiças da vida quando o telefone de Judite toca. Esta, ao ver que é Joaquim fica um pouco aflita e vai sair para atender, mas Cátia antecipa-se e sai. Judite atende a chamada a medo. Joaquim, receoso e sempre a olhar em volta, fala ao telemóvel com Judite e diz-lhe que mesmo que o irmão dela lhe tenha feito a cabeça, ela tem de ouvir, pois afinal é marido dela. Gonçalo nem quer acreditar que o Joaquim teve a coragem de voltar a Portugal, e pergunta a Bia como souberam, ao que Bia responde que desconhece os pormenores, mas Jorge está a chegar e pode explicar.

Bia pergunta por Inês e Gonçalo diz que saiu, mas não sabe para onde, nem se volta. António conta a Inês que no prazo máximo de um ano estará divorciado e sugere que procurem uma casa maior, com jardim, quando batem à porta e Inês vai abrir, dando de caras com Pedro, o seu o ex-marido, que traz uma mala de viagem. Miguel está com o saco de gelo encostado à cabeça a gemer de dor quando tocam à campainha. Otelo entra com ar maldisposto e querendo saber a razão de ser chamado. Repara então no saco de gelo e questiona Miguel ao que este responde que foi o Joaquim, o que deixa Otelo surpreso. Inês está surpreendida por ver Pedro ali. Pedro, todo animado, abraça-a e diz-lhe que resolveu voltar para casa.

Pedro e António são apresentados por Inês num tom muito atrapalhado e ficam a medir-se um ao outro. Joaquim está ao telemóvel com Judite e pede-lhe que acredite nele, que foi arrastado sem culpa, mas Judite confronta-o com o facto de ele ter dito que ia ao Porto e ter ido atrás de Sérgio para Marrocos. Joaquim diz-lhe que isso é o que querem que ela pense e que o filho dela, que está metido em crimes até às orelhas, quer atirar as culpas para cima dele. Joaquim conta que está a tentar levantar o dinheiro dele para fugir para outro país, mas quer que ela vá ter com ele. Judite, ao telemóvel com Joaquim, está muito indecisa sobre o que fazer, quando Cátia entra e ela tenta disfarçar, desligando. Paula chega e pede a ajuda de Judite para a ajudar na preparação do jantar.

Cátia aproveita para picar Paula, que fica chateada. Joaquim olha o telefone com atenção pensando no que fazer e, finalmente, guarda-o no bolso. Olha para os lados, certificando-se que não é visto. Otelo fica ao corrente do que se passou entre Joaquim e Miguel e Miguel diz a Otelo que o mais ser certo é ele ir atrás de Otelo, para conseguir o que quer, ou seja, o dinheiro. Otelo diz que na melhor das hipóteses só depois do banco ser vendido e mesmo assim não é certo que consiga o dinheiro todo. Miguel diz que tem de conseguir porque Joaquim pode abrir a boca. Inês diz a Pedro que ele devia ter avisado que vinha, enquanto António assiste constrangido. Inês acusa Pedro do desprendimento deste em relação à filha e à doença pela qual ela passou, por contrapartida à sua preocupação com o planeta.

Pedro diz que ela também era assim e Inês defende-se dizendo que se ela tivesse feito o mesmo que ele e ignorado a filha, Sol não estaria viva. António tenta amenizar e diz que o importante é que Sol está curada. Inês pergunta a Pedro quanto tempo vai ficar e fica siderada quando Pedro lhe diz que veio para ficar e ver a filha crescer. António diz que isso é bom para a Sol e Inês quase o fulmina com o olhar. Judite, completamente alheada e perdida nos pensamentos, é abanada por Paula que tenta a todo custo que que ela a oiça, pedindo-lhe que esqueça os problemas e a ajude na cozinha. Enquanto arrasta Judite para a cozinha, Paula pede a Cátia que ponha a mesa, mas de forma chique. Cátia quer saber que jantar é esse e fica de queixo caído quando Paula lhe diz que entre os convidados estão um multimilionário brasileiro e Rita Ferreira da Fonseca.

Pedro diz que vai tomar banho e descansar porque está estoirado. António fica admirado com aquele à vontade e, quando este vai para dentro, fica à espera de uma explicação de Inês que, muito aflita, lhe diz que não tem culpa de ele ter voltado. António diz que o problema não é ele ter voltado, mas sim entrar pela casa dentro e estar como se estivesse em casa dele sem ninguém o ter convidado. Jorge entra na associação e abraça Bia como se não a visse há anos. Gonçalo estranha e pergunta o que se passa, e Jorge conta-lhe que Joaquim voltou a Portugal e que ele não sabe do que ele é capaz, pois se foi atrás do Sérgio até Marrocos é bem capaz de ir atrás deles. Lúcio entra apressado e pergunta a Sérgio o que é que ele descobriu, e Sérgio conta que Joaquim usou um passaporte como o nome de Fenando Serra e que estava a tentar ver se usou o telemóvel.

Lúcio está impressionado e diz ao sobrinho que ele já devia trabalhar com ele há mais tempo e fica admirado quando este lhe conta que foi ele quem o avisou do atentado da Gafieira. Gonçalo conta a Jorge que falou com Otelo e que lhe mostrou a fotografia onde estão com Maria Teresa. Jorge estranha o porquê de a mostrar ao Otelo e Gonçalo explica que está a falar com todos os que estão na foto e só lhe falta o Miguel, mas Bia acha que ele não terá sorte com o pai. Gonçalo diz que mesmo assim quer ver a reação dele. Jorge quer saber mais e Gonçalo diz que, apesar de a história de Otelo bater certo com a de António, ele esconde qualquer coisa e teve a certeza disso pela reação dele quando lhe disse que estava a investigar a ligação da Maria Teresa a Jorge, o que deixa Jorge surpreendido.

António fica perplexo ao saber que a casa de Inês foi comprada a meias com Pedro e como tal, em teoria, ele também lá vive. António pergunta a Inês porque é que ela não lhe disse antes de ele ter ido viver com ela e ela diz-lhe que nem se lembrou, porque o Pedro andou desaparecido durante anos. Mas a resposta não convence António e Inês fica preocupada. Jorge pergunta a Gonçalo se ele acha que existe uma ligação entre o Otelo e a Maria Teresa. Gonçalo tem um feeling que sim. Jorge diz que precisa de provas e Gonçalo promete continuar a investigar, enquanto Jorge e Bia vão para casa. Tomás diz que, se depender do pai, fica a apodrecer na cadeia, lembrando o que o pai fez com Salvador e afirmando que Mafalda foi raptada por causa dele, concluindo que o pai é sinistro.

Otelo pergunta a Miguel se ele tem ideia de onde Joaquim pode andar, mas Otelo diz que o gajo entrou ali a cem e saiu a duzentos e Otelo afirma que é um perigo deixar Joaquim à solta, pois correm o risco de ir parar à cadeia.António diz a Inês para falar com Pedro e ou eles mudam de casa ou muda-se ele, quando Branca chega com Sol da escola e Inês conta à filha que o pai dela voltou, deixando a miúda a chorar de emoção. Lúcio pergunta a Sérgio se ele estava metido nos atentados terroristas e o sobrinho responde-lhe que mais ou menos, pois, quando estava em Londres, apanhou uma informação na net de que estava a ser planeado um atentado em Lisboa, continuando a contar a história ao tio.

Sol diz à mãe que está a chorar de alegria, quando aparece Pedro e abraça a filha, que o leva para lhe mostrar o quarto, enquanto António diz a Inês que ela vai ter que resolver mesmo aquela situação, saindo para ir dar uma volta. Otelo e Miguel dizem que a única solução é atrair Joaquim até eles e, como ele está desesperado por dinheiro, há de ir ter com Otelo também e este diz que avisa Miguel quando Joaquim o contactar. Sérgio conta a Lúcio que teve de se infiltrar na rede terrorista para evitar o pior e lembra Lúcio de lhe ter dito para não fazerem o evento, além de o ter avisado de que havia uma bomba no local, mas Lúcio fica aborrecido pelo facto de o sobrinho não lhe ter dito onde podia apanhar os terroristas.

Bia, ao telemóvel com Inês, diz-lhe que não faz sentido nenhum viverem na mesma casa e pergunta a Inês se esta já contou a Pedro que está a viver com António, mas Inês diz que não. Inês diz a Bia que tem de desligar quando aparecem Sol e Pedro., ficando apreensiva quando Pedro diz á filha que voltou de vez e para ficar. Bia conta a Jorge que o marido de Inês voltou para Portugal e Jorge diz que Sol deve estar radiante, mas Bia diz-lhe que há a situação de António, quando este aparece para falar com Jorge, que lhe diz que estavam a falar dele, pois já sabem o que aconteceu com Inês. Inês pede a Sol que a deixe conversar a sós com o pai e, quando ficam sozinhos, Inês diz-lhe que as coisas mudaram na vida dela, mas Pedro acha bem que ela tenha arranjado um namorado e Inês diz-lhe que está a viver com António ali, o que deixa Pedro estarrecido.

António diz a Jorge e Bia que se sentiu um estranho na sua própria casa, mas que não está a pôr nada em causa, perguntando se eles sabem alguma coisa de Tomás e eles contam que Tomás resolveu revelar a verdade à polícia, ou seja, que Miguel matou Catarina. Sérgio diz ao tio que apenas conhecia um dos terroristas, que acabou por morrer, quando o computador dá um sinal sonoro, que chama a atenção dos dois e Sérgio diz que Joaquim fez uma chamada há alguns minutos para Judite e os dois decidem ir imediatamente para casa. Na rua, Joaquim liga para Otelo, dizendo-lhe que precisa de conversar com ele.

—–

António fica incrédulo quando Jorge e Bia lhe contam que pode ter sido Miguel a assassinar Catarina e Bia decide ir à judiciária falar com Tomás. Jorge e António vão com ela. Pedro irrita-se com Inês por esta viver, na casa de ambos, com António, mas Inês dispensa sermões moralistas de Pedro, pois nem a grave doença da filha o pareceu preocupar. Pedro insinua que a doença não foi assim tão grave como Inês diz, pois de outra forma não teria tido cabeça para arranjar namorado. Miguel recebe uma chamada de Otelo a informá-lo de que Joaquim o contactou e que marcaram um encontro. Miguel, pede a Otelo para lhe ligar, assim que souber onde vai ser o encontro, para também ele lá estar. Hadja tenta que Jéssica fique em repouso por causa do ombro, mas esta acha um exagero.

Cláudia chega, bem-disposta, e conta que passou o dia com Salvador, o que deixa Hadja incomodado e Cláudia diz que Salvador está arrependido, mas Jéssica parece não acreditar. Inspetora Marta vai toda animada com um documento ao gabinete de Lúcio, mas não encontra e fica a saber que este saiu apressado. Cláudia discute com Jéssica, que diz à filha que duas tentativas de homicídio são algo a ter em conta e Cláudia vai para o quarto chateada, e Hadja diz a Jéssica que acha que o melhor para Cláudia é ficar longe de Salvador. Inês está furiosa com Pedro por este pôr em causa a gravidade da doença da filha e relembra-o de tudo pelo qual as duas passaram, dizendo-lhe também que foram António e Gonçalo que estiveram ao lado dela e apoiaram, enquanto ele estava mais preocupado em salvar o planeta do que a filha.

Vera recorda, a chorar, o momento em que Bia lhe diz que Henrique não quer ficar com ela, e promete vingar-se de Bia. Henrique liga a Hadja e conta-lhe que voltou para casa do pai. Henrique conta a Hadja que foi o tribunal que decidiu que ele devia ficar com o pai e Hadja tenta perceber como reagiu Vera, mas Henrique diz-lhe que a mãe já não manda nele e que é uma bruxa, o que deixa Hadja preocupado. Cátia põe a mesa seguindo um site de etiqueta enquanto Paula e Judite se pegam na cozinha. Lúcio e Sérgio entram e querem saber a razão daquele aparato. Lúcio não fica contente, mas é interrompido por uma chamada da Inspetora Marta. Inspetora Marta diz a Lúcio que já conseguiu a ordem para interrogar Miguel e Lúcio diz-lhe para o ir buscar.

Pedro tenta que Inês se acalme e explica que achava que, tendo ela a filha doente, não teria espaço para se apaixonar, mas Inês contrapõe, pois foi o amor por António que a manteve viva e, por conseguinte, também manteve viva Sol. Hadja despede-se de Henrique e conta a Jéssica que o tribunal decidiu dar a guarda de Henrique a Jorge porque Vera não tem condições para tomar conta do filho e ambos decidem ir ver como está Vera. Mónica vai a casa de Amanda falar com José e conta-lhe que esteve com Salvador, que em breve poderá voltar a casa. Mónica entrega a José as duas propostas de aquisição do BBFF para ele analisar e diz-lhe que está inclinada para a proposta do fundo europeu, porque não consegue confiar no representante do fundo brasileiro.

Pedro pede desculpa a Inês e reconhece que falhou como pai, mas quer emendar o erro e Inês diz-lhe que a melhor forma de o fazer é estar presente na vida da filha. Lúcio discute com Paula acerca do jantar e diz-lhe para o desmarcar, mas Paula não se demove e Lúcio interrompe a discussão porque tem de falar com Judite e Sérgio em privado. Jéssica e Hadja vão a casa de Vera ver como ela está e Vera começa por achar que eles só lá foram para gozar com a situação dela, mas Hadja e Jéssica fazem-na ver que estão preocupados com ela. Pedro acabou de fazer uma proposta a Inês, que esta aceita por ele estar empenhado em ser um verdadeiro pai e por não fazer sentido Sol continuar privada de viver com os pais, mas o problema será Inês contar a António.

Lúcio e Sérgio confrontam Judite e dizem-lhe que sabem que ela falou com Joaquim. José acaba de analisar as propostas e também as considera idênticas e, se as orientações do governo também vão no sentido de optar pelo fundo europeu, diz a Mónica para seguir o seu instinto. Joaquim entra disfarçado na Gafieira e liga a Otelo a dizer-lhe que está à espera dele na Gafieira. Otelo acha que Joaquim está maluco para se encontrar com ele num sítio tão exposto como aquele, mas Joaquim diz-lhe que é por não estar maluco e por saber do que Otelo é capaz que marcou naquele lugar. Jéssica reconforta Vera, mas esta acha que está tudo perdido e que depois da asneira que fez contra Bia nenhum juiz lhe dará o filho de volta. Hadja diz que todos têm direito a segundas oportunidades.

Miguel monta um silenciador numa arma quando recebe o telefonema de Otelo. Miguel fica desanimado ao saber que o encontro é na Gafieira, porque assim não pode entrar lá armado e Otelo confirma que foi mesmo por ter medo de ser morto que Joaquim marcou naquele sítio. Miguel combina com Otelo um plano para atrair Joaquim a um beco e desliga enquanto guarda a arma no bolso. Quando abre a porta para sair, Miguel dá de caras com a Inspetora Marta. Hadja e Jéssica tentam fazer ver a Vera que nem tudo está perdido e que não deve desistir de viver nem de ser mãe se é esse o seu desejo. Inspetora Marta, num tom trocista, pergunta como é que Miguel adivinhou que ela estava ali e Miguel tenta sair, mas a inspetora impede-o.

Lúcio e Sérgio perguntam a Judite o que é que Joaquim lhe queria e Ela conta-lhes que ele disse que estava inocente e que gostava dela e queria que eles ficassem juntos. Sérgio quer saber se ela vai pactuar com Joaquim e diz-lhe para abrir os olhos. Miguel tenta escapar-se à Inspetora Marta e recusa-se a ir com ela, mas esta mostra-lhe o mandado e, sem alternativa, acaba por ir, não sem antes esconder à socapa a arma que tinha consigo. Vera, cheia de raiva, diz que é tudo culpa de Bia e também de Miguel que comprou o juiz e que Bia merece uma lição, mas Jéssica diz-lhe para não ter ideias parvas e Vera diz que é só maneira de falar. Lúcio e Sérgio espremem um pouco mais Júdite e esta acaba por dizer que Joaquim se prepara para fugir para longe, de vez.

Jorge, Bia e António estão na judiciária e pedem para falar com Lúcio, mas, como este não está, Bia pede para falar com o irmão. Vera, já mais calma, fica a saber por Jéssica que Tiago está muito abalado com o assassinato de Catarina e que o principal suspeito é Tomás. Otelo entra na Gafieira e cruza-se com Ginjas antes de se sentar em frente a Joaquim, que lhe volta a dizer que quer dinheiro ou abre a boca. Gonçalo recebe uma chamada de Ginjas que lhe conta que Otelo está na Gafieira, com um tipo esquisito e Gonçalo pede a Ginjas que tire uma foto, mas este insiste que ele vá lá. Gonçalo sai disparado. Bia, Jorge e António são informados que Tomás não pode ter visitas. Bia ainda insiste, mas sem efeito e Jorge sugere-lhe ligar a Lúcio.

Paula está irritada por não conseguir ouvir através da porta a conversa de Lúcio com a irmã e o sobrinho, achando que deve ser por causa do Joaquim, mas afirmando que o jantar tem de sair perfeito. Enquanto escolhe a roupa para o jantar, Rita pede a Laurinda que lhe prepare um lanche porque não quer passar fome em jantares de gente pobrezinha. Jéssica acha que deviam contar a Tiago que a irmã não está bem e Hadja tenta desvalorizar, mas Jéssica insiste, sobretudo pela insistência de Vera em culpar Bia. Otelo diz a Joaquim que já imaginava que seria chantageado e que tem uma mala com cento e cinquenta mil euros no carro e quer saber se é suficiente para comprar o silêncio dele.

Judite continua a ser pressionada por Lúcio e Sérgio que não se conformam com o facto de ela não lhes ter dito nada, mas Judite diz que ficou nervosa e Lúcio pede a Judite para ligar a Joaquim a dizer que o quer ver. Marlene e Wagner ficam espantados ao verem Vera entrar na cozinha e Vera diz-lhe que precisa de trabalhar para distrair a cabeça. Um empregado serve uma sobremesa a um casal e, depois destes a provarem e adorarem a mesma, diz-lhes que segredo é o novo vinagre doce. Lúcio e Sérgio continuam a tentar convencer Judite do seu plano, quando Lúcio recebe uma chamada de Jorge a pedir que autorize Bia a falar com o irmão e Lúcio acede. Jorge agradece a Lúcio e pergunta se tem novidades sobre Joaquim.

Joaquim diz que o dinheiro não chega e Otelo diz para levar este agora que ele transfere outro tanto para uma conta no estrangeiro. Joaquim acede, no entanto, mantém a ameaça de abrir a boca se Otelo o enganar. Otelo tem o carro nas traseiras e Joaquim, desconfiado, avisa-o de que está armado. Quando vão a sair Gonçalo entra na Gafieira e vê Joaquim, que consegue fugir derrubando Gonçalo. Otelo tenta sair despercebido, mas Gonçalo vê-o antes de perder os sentidos. Jorge diz a Bia que Lúcio autorizou a visita a Tomás. Otelo está na rua e fica furioso ao perceber que Joaquim desapareceu. Vera quer falar com Marlene a sós, o que deixa Wagner intrigado. Vera quer saber se Marlene ainda está disposta a ajudá-la e Marlene confirma, e Vera diz que não é só Bia que vai ter de pagar, mas também Jorge. Bia vai ver Tomás e cruza-se com o pai acompanhado da Inspetora Marta. Há uma troca de palavras acesa entre Miguel, Jorge e António, mas a Inspetora Marta rapidamente encaminha Miguel para o interrogatório.

Gonçalo recupera os sentidos e sai a correr na esperança de apanhar Joaquim e Otelo. Mónica liga a Otelo para o informar da sua decisão. Mónica diz a Otelo que decidiram vender o BBFF ao fundo europeu. Bia está finalmente com Tomás e pergunta-lhe se foi ele ou Miguel quem matou Catarina. Judite, encorajada por Lúcio e Sérgio, liga a Joaquim para se encontrarem. Rita faz uma refeição de medalhões de pescada, preparada por Laurinda, de modo a precaver-se da fome que antecipa passar no jantar de pobrezinhos, organizado por Paula. Gonçalo volta a entrar na Gafieira e liga a Jorge a contar-lhe que quase apanhou Joaquim. Jorge fica surpreendido e quer saber onde. Vera certifica-se de que Marlene está confortável com a ideia de raptar a bebé, mas, no entanto, não sabe para onde levar a criança. Wagner, à distância, olha-as desconfiado. Gonçalo conta a Jorge que foi na Gafieira e que só chegou lá com uma dica de que Otelo lá estava com um tipo esquisito, que afinal era o Joaquim. Jorge fica incrédulo com o que ouve de Gonçalo.

—–

Marlene diz a Vera que vai arranjar um sítio que nem Vera saberá para não correr o risco de ter de mentir caso a polícia a interrogue e Vera concorda, pois quer que Jorge e Bia sofram um bocado e depois largam a miúda num sítio onde a encontrem. Tomás conta a Bia que ele apenas atraiu Catarina aquele sítio, sem qualquer ideia de lhe fazer mal, mas que o pai a empurrou. Joaquim fala ao telemóvel com Judite e diz-lhe que não parece ser seguro eles encontrarem-se. Judite diz a Joaquim que quer ir embora com ele e Joaquim tenta demovê-la devido ao perigo, mas Judite diz preferir morrer a ficar sem ele. Lúcio e Sérgio ficam espantados com o seu poder de persuasão. Gonçalo, ao telefone com Jorge, afirma a pés juntos que eram Joaquim e Otelo, mas não percebe o que faziam juntos, ainda por cima sendo Joaquim um fugitivo.

Jorge fica a saber que Gonçalo não os conseguiu seguir porque ficou inconsciente e diz a Gonçalo que vai avisar Lúcio. Otelo está ao telefone com Maria Teresa a informá-la de que foi a proposta deles a escolhida e que Miguel não vai gostar nada. Maria Teresa acha que Miguel merece todo o mal possível e pede contenção a Otelo quando este mostra estar ansioso para serem conhecidos os rostos por detrás do fundo. Miguel está na sala de interrogatório muito impaciente e a Inspetora Marta diz-lhe para pensar bem no que vai dizer, enquanto aguarda, porque a história dele está muito mal contada. Tomás conta à irmã que o pai prometeu tirá-lo dali se ele ficasse calado, relevando que foi manipulado por Miguel, que matou friamente Catarina, e não duvida que foi o pai que colocou a bomba no carro do tio e alerta Bia para o perigo de ele se voltar contra Jorge.

Hadja liga a Tiago dizendo que precisa de falar com ele porque estão preocupados com a instabilidade emocional de Vera. Depois de explicar resumidamente a Tiago que Vera perdeu a guarda do filho e que o caso é sério, Hadja pede ao primo para ir jantar lá a casa e conversarem. Vera dá a Marlene a morada de Jorge e Marlene tranquiliza Vera, pois vai conseguir raptar a miúda, o que deixa Vera intrigada com a coragem de Marlene, mas esta diz que a prisão a ensinou a relativizar as coisas. Jorge, muito impaciente, liga para Lúcio, mas este não atende. Lúcio está, tal como Sérgio, com atenção a Judite que continua ao telefone com Joaquim. Joaquim quer saber o que Judite vai fazer com o filho e Judite diz que não quer saber de Sérgio porque este a desiludiu.

Joaquim fica satisfeito por Judite acreditar nele e em breve dar-lhe-á lhe, e Judite tenta saber para onde irão, mas Joaquim não sabe, apenas afirmando que será um sítio onde possam envelhecer juntos. Judite despede-se de Joaquim e desliga, desabando em choro. Sérgio e Lúcio reconfortam-na, dizendo que fez o que era certo. Jorge consegue finalmente falar com Lúcio e conta-lhe que Gonçalo viu Joaquim na Gafieira. Lúcio fica perplexo e ainda mais quando sabe que este se encontrou lá com Otelo. Jéssica sugere a Hadja convidar também Vera para jantar, mas ele acha que não é boa ideia. Mónica chega à PJ e fica espantada ao saber por António que Bia foi falar com Tomás. Jorge continua a explicar os pormenores a Lúcio e este quer saber se Jorge ainda está na PJ.

Jorge confirma e diz que também Miguel lá chegou trazido pela Inspetora Marta. Lúcio diz a Jorge que já sabia e vai agora para a PJ, e que talvez Miguel consiga explicar a ligação entre Otelo e Joaquim. Quando desliga, Paula pergunta-lhe se Judite já a pode ajudar, mas Lúcio não gosta que Paula se aproveite de Judite e Paula ainda resmunga, mas Lúcio não lhe dá saída e deixa-a a falar sozinha. Lúcio vai ao quarto onde Sérgio conforta Judite antes de sair para a PJ e dá uma palavra de apoio a Judite. Mónica diz a Jorge que vinha saber do Tomás, mas que já sabe que Bia está com o irmão e Jorge informa-a de que Miguel também está numa sala de interrogatório, o que deixa Mónica muito surpresa.

Tomás, desesperado, pede à irmã que o ajude a provar a sua inocência, contando-lhe que foi no seu carro, com Miguel, ter com Catarina e que a pele que esta tinha nas unhas era sua porque ele tentou segurá-la, mas que foi Miguel que a empurrou. A Inspetora Marta dá a visita por terminada e apressa a saída de Bia, não sem antes Tomás pedir à irmã que diga a Amanda que ele é inocente e que amava Catarina. Otelo está no restaurante de Vera ao telemóvel com Miguel, a quem diz que Joaquim escapou porque Miguel não estava do lado de fora como combinaram. Miguel está sozinho no gabinete da PJ ao telemóvel com Otelo, explicando-lhe que foi apanhado pela Inspetora quando estava a sair e não teve forma de o avisar.

Paula entra no quarto onde Sérgio consola Judite e apressa esta a tratar do jantar. Sérgio ainda se irrita, mas Judite acaba por ir com Paula. Bia chega ao corredor e recorda-se do que Tomás lhe disse sobre o quão perigoso é pai e que este se pode virar contra Jorge. Mónica diz com António e Jorge que desconhecia a ligação de Otelo a Joaquim. António recebe uma chamada de Inês e combinam encontrar-se em casa de José. Pedro, que ouviu o telefonema de Inês, diz que não há problema, pois ele fica com Sol e Henrique enquanto ela vai namorar. Bia diz a Jorge, Mónica e António que Tomás é inocente, pois tem certeza de que o irmão está a dizer a verdade. Miguel continua ao telefone com Otelo e está irritado por não ter acabado com Gonçalo enquanto teve oportunidade.

Otelo diz a Miguel que não sabe se Gonçalo percebeu que ele estava com Joaquim e que está com receio de ser considerado suspeito. Miguel diz que Gonçalo tem de ser eliminado, mas Otelo acha importante saber se ele falou com alguém e Miguel apressa-se para desligar a chamada. Bia diz a Mónica, Jorge e António que viu nos olhos do irmão que este diz a verdade e que está desesperado e conta também que Tomás acha que Miguel pode atacar Jorge para se defender. Otelo liga para Joaquim querendo saber onde é que ele se meteu. Joaquim pergunta a Otelo se não viu Gonçalo a tentar agarrá-lo, afirmando que precisa do dinheiro para desaparecer o quanto antes. Otelo quer entregar o dinheiro a Joaquim, mas desta vez tem de ser na rua, e depois disso Joaquim desaparece.

Joaquim concorda. Otelo fica de ligar mais tarde a combinar a entrega. Mónica pede a Bia que fique calma e Jorge também acha melhor esperar pelo interrogatório de Miguel. António está um pouco cético e decidem ir para casa, com António a pedir boleia a Mónica. Tiago está em casa de Jéssica e Hadja e diz que está preocupado com a irmã, mas não quer aproximar-se dela, sobretudo nesta fase em que ele próprio está em baixo, mas Hadja pede a Tiago que reconsidere. Mónica e António entram em casa, com Mónica a dizer-lhe que ele pode ficar ali, pois até seria bom para ela, já que afinal a casa agora parece um mausoléu e António diz a Mónica que talvez esteja na altura de ela viver com Francisco, quando aparece Inês e Berta fica à escuta para ouvir a conversa.

Tiago está um pouco cético quanto às ideias de vingança da irmã contra Bia, mas Jéssica e Hadja dizem-lhe que ficaram alarmados e Tiago acha que a irmã devia ser acompanhada por um especialista. Jéssica diz que já o sugeriu, mas Vera nem quis ouvir falar. Vera informa Wagner que Marlene vai estar fora uns dias por questões de saúde. Otelo está dentro do carro quando Joaquim entra para o lugar do passageiro e pergunta pelo dinheiro. Otelo pega no saco do dinheiro, mas antes de o entregar, aponta uma arma à cabeça de Joaquim. Vera prepara-se para sair e despede-se de Marlene com um abraço garantindo-lhe que o lugar dela no restaurante fica à sua espera. Wagner olha-as desconfiado.

Otelo aponta a arma à cabeça de Joaquim e, quando se prepara para disparar, Joaquim, num golpe rápido, consegue que a arma caia da mão de Otelo e os dois lutam para alcançá-la. Vera sai, sorrindo para Marlene, que também a olha toda derretida. Wagner confronta Marlene e diz-lhe que não é por dormir com Vera que vai subir na cozinha. Marlene estranha, mas ignora Wagner e sai também. Otelo e Joaquim continuam a debater-se pela posse da arma. Joaquim consegue fugir do carro e Otelo ainda tenta apontar a Joaquim, mas este desaparece, o que deixa Otelo furioso. Inês diz a António que ela e Pedro decidiram que o melhor para Sol é viver com os pais na mesma casa e António quer saber se Inês e Pedro reataram. Berta escuta a conversa.

Miguel é interrogado por Lúcio e este pergunta-lhe porque mentiu dizendo que tinha almoçado com Tomás à hora em que Catarina morreu. Mónica liga a Francisco e convida-o para jantar em casa dela, deixando Francisco surpreso com o convite e Mónica diz-lhe que finalmente decidiu ter uma vida normal. Francisco fica satisfeito por ver que Mónica está a tomar o pulso da sua vida. Depois de desligar a chamada de Francisco, Mónica relembra o momento em que Bia se mostra preocupada com a possibilidade de Tomás ser preso injustamente. Miguel acusa Lúcio de querer que ele confesse um crime que não cometeu e não hesita em apontar a culpa a Tomás, mas Lúcio confronta Miguel com o facto da morte de Catarina lhe ser particularmente útil em termos de herança.

Inês diz a António que não se trata de reatar com Pedro e António não entende como isso se encaixa nos planos deles. Bia e Jorge chegam a casa, e Bia não consegue pensar em jantar depois do que ouviu na PJ, mas Jorge convence-a a comer. Miguel é insultuoso com Lúcio durante o interrogatório e Lúcio diz que não vai admitir que Miguel goze com ele novamente. Miguel pergunta-lhe se ele o vai prender sem provas. António está incrédulo com o que acabou de ouvir, afirmando que não vai viver com ela e com outro homem, mas Inês não entende o porquê. Berta sai à socapa para o interior. Miguel provoca Lúcio dizendo que nunca o vai conseguir apanhar porque ele é mais inteligente que Lúcio e Lúcio espanca Miguel garantindo que não deixa marcas.

Miguel diz que ele não o pode agredir, mas Lúcio diz que, segundo a teoria de Miguel, desde que não existam provas, pode fazer qualquer coisa e Miguel fica a gritar de dor. Laurinda acabou de falar com Berta e conta a Rita que Inês quer viver com António e o pai da filha, e Rita fica admirada. António está indignado com o que ouviu e Inês acha que ele está a ser intransigente e os dois terminam o relacionamento. Miguel está com dores e alguma dificuldade em mexer-se e Lúcio dá o interrogatório por terminado, avisamdo-o que da próxima vez que se virem será para o prender. Miguel é provocador e diz-lhe que bem pode tentar. Rita desabafa com Laurinda sobre a sonsa da Inês que afinal quer é dois homens na cama.

Inspetora Marta cruza-se no corredor com Miguel, visivelmente com dores, e pergunta a Lúcio o que se passou, mas Lúcio diz que Miguel teve o que mereceu e que nem que vire tudo de pantanas têm de o prender, com Lúcio a começar a achar que afinal Tomás está a dizer a verdade. Paula e Cátia estão todas produzidas para o jantar. Paula não quer Sérgio, com ar de mendigo, no jantar e Cátia vai tratar dele. Judite disponibiliza-se para vestir uma farda e assim dar um ar mais sofisticado ao jantar. Rita vai a sair quando Laurinda recebe outra chamada de Berta a contar que António e Inês romperam.

Rita fica toda animada. António, totalmente arrasado, pergunta se Mónica não se importa mesmo que ele fique lá em casa, porque terminou tudo com Inês. Sérgio entra quase irreconhecível, acompanhado de Cátia que diz que ambos vão dar um show nunca antes visto. Em casa, Miguel examina-se ao espelho à procura de marcas, mas não existem, mas contorce-se com dores ao tocar nos sítios onde foi espancado por Lúcio. Jorge e Bia estão a jantar quando tocam à campainha. Aparecida abre a porta, e Joaquim entra de rompante de arma em punho, apontando-a a Bia, Jorge e Aparecida.

Real Time Web Analytics