Novela “Êta Mundo Bom!” – A história de Candinho e Filomena

eta_mundo_bom_globo_novela_resumoNovela Êta Mundo Bom – Rede Globo Portugal – Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é prameiorá. Este será o lema de Candinho, protagonista vivido por Sergio Guizé na nova novela das 6, “Eta Mundo Bom”, ambientada no fim dos anos 40. Não tem tempo ruim para este charmoso roceiro, que não abandona o otimismo mesmo com tantos percalços em seu caminho. Na trama, Candinho foi separado da mãe logo após seu nascimento e foi acolhido pelo casal Cunegundes (Elizabeth Savala) e Quinzinho (Ary Fontoura), donos de uma fazenda, no interior de São Paulo. Mas quando cresce, Candinho vira empregado nessa casa e é expulso por se apaixonar pela primogênita, Filomena (Débora Nascimento).

Pancrácio (Marco Nanini), amigo da família que criou Candinho e seu grande mentor, o aconselha a seguir para a capital em busca da mãe biológica, Anastácia (Eliane Giardini), que ele nunca conheceu. Assim Candinho o faz junto de seu inseparável burro, Policarpo. A mãe, a esta altura, é uma viúva milionária e também está à procura do filho na capital. Ela conta com a ajuda do detetive Jack (David Lucas), da melhor amiga Emma (Maria Zilda Bethlem) e do advogado Araújo (Flávio Tolezani). Mas Anastácia não faz ideia de que a sobrinha, Sandra (Flávia Alessandra), fará de tudo para atrapalhar esse encontro, pois teme perder a posição de herdeira.

Sem se deixar abater, Candinho enfrenta as mais diversas situações para sobreviver na cidade grande, onde conhece seu fiel amigo, Pirulito (JP Rufino). Além da busca incessante pela mãe, Candinho também vai lutar com unhas e dentes pelo amor de Filomena, que agora mora na capital e vive uma relação com o possessivo Ernesto (Eriberto Leão).

A família que adotou Candinho no passado é um tanto barulhenta no presente. Cunegundes não cansa de dar ordens ao marido, Quinzinho, que por sua vez insiste em querer mostrar que a última palavra é sempre a dele. Mas, na verdade, é exatamente o oposto. Cunegundes sempre convence Quinzinho em tudo! Esses dois caipiras querem a todo custo casar as filhas, Filomena e Mafalda, sendo que a segunda é um pouco desengonçada e tem dificuldades para achar um partidão.

E não é só Mafalda que está “encalhada”. Eponina (Rosi Campos), irmã de Quinzinho, é a grande solteirona da família e nutre um amor eterno por Pancrácio. Enquanto isso, o filho do meio, Quincas (Miguel Rômulo), se diverte com as encrencas das irmãs e se mete em tudo quanto é assunto! Tudo isso sem contar com as trapalhadas da família envolvendo a fiel empregada Manoela (Dhu Moraes), a sobrinha dela, Dita (Jeniffer Nascimento), o faz-tudo Zé dos Porcos (Anderson Di Rizzi) e o veterinário Josias (Flávio Migliaccio).

Não faltam malandros, cafajestes e vigaristas na trama. Mas todos eles têm algo em comum: são lindos. A começar por Ernesto. Com uma lábia infalível e um pé de valsa daqueles, o vilão conhece Filomena e a convence a fugir com ele para a capital com a promessa de se casar com a bela roceira. Mas o mundo de Filó desaba quando os dois chegam em São Paulo. Ernesto diz que não vai casar coisa nenhuma e praticamente obriga a moça a se tornar uma dançarina em uma espécie de cabaré. E o pior: Ernesto fica com a maior parte do dinheiro que ela ganha no local.

Outro pedaço de mau caminho – literalmente – é Romeu (Klebber Toledo). Vigarista até o último fio de cabelo, ele sobrevive de aplicar golpes em pobres coitados até que conhece Mafalda (Camila Queiroz). Tadinha… Será que ela vai ser mais uma vítima das armações do bonitão? Celso (Rainer Cadete) também não é flor que se cheire! Sobrinho de Anastácia, vive às custas da tia e adora manter a aparência de bom moço. Mas a realidade é outra! Ele não passa de um boêmio e aliado da irmã, Sandra, nas armações para não perderem o posto de herdeiros de Anastácia.

Sandra é a personificação da falsidade! Na frente de Anastácia, a loira platinada é doce e generosa. Mas por trás, é gananciosa e faz de tudo para atrapalhar os planos da tia para encontrar o filho, Candinho. Haja crueldade! Não é à toa que Sandra tem uma amiga parecida com ela. Lindíssima, Ilde (Guilhermina Guinle) se faz de boazinha na frente do marido, Araújo, mas quando ele está ausente, adora maltratar o enteado, Cláudio (Xande Valois).

E o que dizer da dançarina Diana (Priscila Fantin)? Essa beldade fica com a inveja à flor da pele quando Filomena começa a trabalhar no “cabaré”. Não dá outra: o esporte preferido de Diana é puxar o tapete da rival! Mas nessa pista de dança também há espaço para as boazinhas. Além de Paulina (Suely Franco), a dona do estabelecimento, a engraçada Clarice (Mariana Armelini) sempre alegra o clima do lugar.

A sofrência vai marcar presença na vida da jovem Maria (Bianca Bin) na novela. Essa moça de família tem um pai cujo próprio nome já diz tudo: Severo (Tarcisio Filho). Apaixonada por Leandro (Pedro Brandão), Maria descobre que está grávida e os dois se apressam para subirem ao altar, mas uma tragédia acontece. Leandro morre em um acidente de carro! Apesar do apoio da mãe, Ana (Débora Olivieri), Maria acaba expulsa de casa por Severo. O primo de Leandro, Fábio (Rodrigo Andrade), tenta ajudar a moça pedindo para os tios acolherem Maria e o bebê que está por vir, mas eles se recusam a abrigar uma moça solteira e grávida.

Mas nem tudo estará perdido para Maria. Ela consegue um emprego de copeira na mansão de Anastácia e passa a dormir na pensão de Dona Camélia (Ana Lucia Torre), onde mora uma jovem que também sofre um bocado! Gerusa (Giovanna Grigio), filha de Camélia, tem uma doença misteriosa e está sempre frágil. Mas nem por isso ela deixa de se apaixonar por Osório (Arthur Aguiar), hóspede da pensão. Lá, também moram Romeu e Olga (Maria Carol), que diz a todos que dá aulas noturnas em um colégio de freiras. Mas na verdade ela é mais uma dançarina da noite paulistana.

As radionovelas eram a grande sensação dos lares nos anos 40, época em que a trama de Walcyr Carrasco se passa. E não vai ser diferente com os personagens de Êta Mundo Bom!, que serão ouvintes fiéis de um romance narrado através dos antigos aparelhos de rádio. Mas as belas vozes ouvidas na radionovela não correspondem à realidade na trama. A exemplo de Olímpia (Neuza Maria Faro), atriz que interpreta a heroína frágil, mas que não está em boa forma, para dizer o mínimo. Já Evandro (Cláudio Tovar), o diretor de som de radionovela, é um homem discreto e de poucas palavras.

“Eta Mundo Bom” é escrita por Walcyr Carrasco e Maria Elisa Berredo. Direção-geral de Jorge Fernando e direção de Ana Paula Guimarães, Marcelo Zambelli e Diego Morais.

Fonte: Rede Globo Novela “Eta Mundo Bom”

Real Time Web Analytics